Assinatura RSS

Arquivo do mês: abril 2015

Chá de canela com hibisco

Oi gente,

Fazia um tempo que eu não postava uma receita, né?

DSC_0017

Então trouxe hoje a de chá de canela com hibisco. Sei que hibisco está na moda, que dizem que ajuda a emagrecer, canela é termogênico, mas na verdade eu não tomo esse chá por nada disso. Nunca fui fã de chás, minha mãe adora e está sempre receitando algum, mas com exceção do mate, que eu amo, nunca gostei muito.

Mas um dia provei esse chá, de canela com hibisco, de uma ex colega de trabalho e adorei. Acho que, na verdade, o que mais me incomoda nos chás, é o fato de terem pouco sabor e serem quentes, me sinto bebendo água quente. Mas esse é bem diferente, tem bastante gosto e eu sempre bebo gelado. Esse é o maior segredo para mim, colocar na geladeira.

Outra coisa que ajuda muito é o sabor, ele é bem azedinho (adoro comidas e bebidas ácidas) e tem um gosto delicioso de canela, que deixa o chá com um leve fundo adocicado, mas sem ser nem um pouco doce. Só provando para saber. Vamos a ele.

DSC_0001

Ingredientes

2 litros de água

3 paus de canela

3 colheres de sopa de hibisco

Modo de fazer

Ferva a água em uma panela e acrescente os três paus de canela, deixe fervendo por 15 minutos.

DSC_0008

Depois desligue a água e coloque o hibisco. A quantidade depende de quão forte você quer seu chá.

DSC_0010

Se quiser tomar ainda quente, coe e tome. Se preferir gelado, espere esfriar, coe e coloque na geladeira. Adoce se preferir, o chá é bem azedinho, mas eu acho que não precisa.

DSC_0015

Não esqueçam de me seguir no Instagram (@juliakubrusly) e curtir a página do blog. Se quiserem receber os posts no e-mail, se inscrevam no blog.

Beijos

Batom Lune 33

Oi gente,

Hoje vim dizer o que achei do batom 33 da Lune.

Batom lune cor 33 03

A cor é linda demais, um rosa bem forte e nada discreto, mas também uma cor super normal e usável.

batom lune montagem

É um batom cremoso, então a duração não é enorme, mas, por ter uma cor forte, achei que durou bem. Depois de comer é necessário reaplicar sim, mas, mesmo sem aplicar de novo, ele não some completamente da boca, vai saindo a partir do centro, mas deixa um leve tom rosado nos lábios que só vai sair com demaquilante.

DSC_0008

Por ser cremoso é um batom muito confortável, não repuxa nem resseca a boca. O maior problema desse batom é que a marca não é tão fácil de encontrar. Dá pra procurar pontos de vendas no Google ou no Facebook da marca, mas são poucos, aqui em Floripa mesmo, não tem. A boa notícia é que, através do e-mail da marca, podemos conseguir mais informações de como comprar.

DSC_0015

Lembro que a primeira vez que ouvi falar da marca foi quando algumas famosas apareceram usando em novela, há alguns anos. A embalagem é bem legal também, não é super pesada ou sofisticada, mas dá pra carregar na bolsa sem medo de quebrar. O que acho mais legal é ter a cor do batom no fundo da embalagem, assim a gente não precisa ficar abrindo cada batom para saber qual é caso tenha vários da mesma marca.

Mesmo não sendo tão fácil de encontrar, a marca tem um excelente custo benefício e se você gostar da cor vale muito a pena. Já conheciam essa marca?

Não esqueçam de me seguir no instagram (@juliakubrusly) e curtir a página do blog no Facebook.

Beijos

O que achei do Kobo

Oi gente,

Quem acompanha os posts sobre livros já está cansado de ver fotos do meu e-reader. Pois é, comprei (na verdade ganhei) o Kobo em 2013.

DSC_0043

Existem vários e-readers no mercado. No Brasil, que eu saiba, são três os principais, o Kindle da Amazon, o Lev da Saraiva e o Kobo da Livraria Cultura. Vou falar do Kobo e da minha experiência com ele nesses dois anos.

Ele é um e-reader, ou seja, um leitor de e-books, feito para ler livros. Sei que muitas pessoas usam o tablet para ler livros, mas são aparelhos muito diferentes. Pra começar o kobo é totalmente preto e branco e sua tela não é luminosa, não é de lcd ou led, mas de e-ink. Essa tinta eletrônica (e-ink) se organiza na tela e forma as páginas, então outra grande diferença é a iluminação. O Ipad é luminoso, a tela emite luz, o Kobo não. Inclusive, por não emitir luz direto no nosso olho ele cansa bem menos a vista. A desvantagem é que precisaremos de uma luz externa, uma lâmpada, lanterna ou luz do Sol. O vidro do e-reader é fosco e anti reflexo, evitando atrapalhar a leitura.

Cada marca de e-reader tem diversos modelos, o meu é o Kobo Touch, ele, como o nome diz, é touch, tem apenas um botão físico para voltar à tela inicial. Versões mais recentes podem ter mais velocidade, Internet melhor e luz para auxiliar a leitura. Mesmo as versões com luz são muito diferentes dos Ipads, a luz vem da lateral da tela e, de fora, iluminam o texto, não é uma luz que vem de trás da tela em direção ao seu olho.

Página inicial com os livros lidos mais recentes

Página inicial com os livros lidos mais recentes

Realmente, no Kobo Touch a Internet não é muito boa, nem a velocidade do touch, não se compara a um smartphone, por exemplo. Inclusive, ao usar a Internet para navegar no Facebook, já consegui travar o Kobo. Não recomendo que ele seja intensamente utilizado para esses fins. Mas vamos lembrar que ele é um aparelho de leitura, não foi feito para ser um tablet.

Quanto a qualidade do touch, não é excelente e é bastante lenta, mas só uso o touch para trocar de página e fazer pequenas anotações, não preciso de mais sensibilidade ou qualidade. Isso é bem legal do e-reader, enquanto leio posso fazer algumas interações com o texto. Posso sublinhar trechos que achei importantes, marcar páginas, fazer anotações ou procurar palavras que não conheço no dicionário interno que é grátis e já vem pré-instalado (só é preciso escolher as línguas que você deseja e baixar). É possível também mudar a formatação do texto, trocar a fonte, aumentar ou diminuir o tamanho da letra e das margens, modificar o contraste e outras pequenas mudanças que tornam a leitura mais confortável.

Lista da minha biblioteca. Dá pra organizar em estantes também e agrupar os livros por assunto, nacionalidade, tipo, etc.

Lista da minha biblioteca. Dá pra organizar em estantes também e agrupar os livros por assunto, nacionalidade, tipo, etc.

Como eu disse, existem diversos e-readers no mercado (principalmente internacional) e a maioria deles usa o formato de texto Epub. É o formato de e-book mais usado, na verdade conheço apenas o Kindle que usa formato diferente. Por esse ser o formato mais usado, é também o mais fácil de encontrar, mas como o Kindle não usa, não é possível adquirir livros na Amazon. O Kobo tem aproximadamente 3GB de capacidade e cada e-book varia muito, alguns tem 100KB, outros 600kb. Tenho alguns arquivos de obras completas (como obras completas do Freud, de José de Alencar, Machado de Assis) que podem chegar a 5MB. Cabem muitos livros no Kobo, você não vai sentir falta de espaço. A bateria dele dura bastante também, como ele só gasta bateria para mudar de tela, mesmo você lendo todos os dias pode ficar umas duas semanas sem carregar.

Embora o formato preferencial de leitura seja o Epub, o Kobo lê PDF também. O problema do PDF é: ele acaba sendo interpretado como imagem. Então não é possível mudar a formatação do texto ou sublinhar pedaços. Então, em geral, as letras ficam muito pequenas e é bastante difícil de ler. Existem programas que passam de PDF para Epub, mas muitas vezes o arquivo perde a formatação. Dá pra aumentar letras, marcar o texto, etc, mas muitas vezes cada linha fica constando como um parágrafo, como se copiássemos um PDF para o word.

trecho marcado.

trecho marcado.

Eu não sou uma grande leitora de quadrinhos, mas também não recomendo o Kobo se você quiser ler HQ. Por ser preto e branco já perde bastante para os quadrinhos coloridos, além disso, mesmo em Epub eles são interpretados como imagem, então não é possível fazer nenhuma modificação nem marcação no texto. Mais uma vez, as letras ficam muito pequenas, dificultando bastante a leitura.

Amo demais o Kobo e acho muito prático, principalmente para viagens, ao invés de levar vários livros pesados, levo apenas o e-reader. Recomendo demais se você é uma pessoa que gosta de ler e gosta sempre de carregar um livro contigo. Se você está em busca de algo para ler, mas que também te possibilite usar a Internet, melhor comprar um tablet mesmo.

DSC_0046

Espero que tenham gostado, penso em fazer, futuramente, um post comparando o Kobo e o Kindle. Não esqueçam de me seguir no Istagram (@juliakubrusly) e curtir a página do blog no Facebook.

Beijos

Meus cuidados com o cabelo

Oi gente,

Quero contar pra vocês como eu montei o meu cronograma.

meus cuidados com os cabelos

Eu era uma pessoa que não cuidava nada do cabelo, passava shampoo, condicionador e só. Aí comecei a pintar e decidi mudar isso. Foi então que ouvi falar do cronograma capilar, lembro que na época meus cabelos estavam como na segunda foto, médios e virgens, eu estava me preparando para virar a ruiva laranjinha da quarta foto. No início pensei: poxa, não faço hidratação com um produto, vou fazer com três? Mas, surpreendentemente, não tive problemas, principalmente porque os produtos agem em três ou cinco minutos, não mudei quase nada a minha rotina de banho. Na verdade o que eu mudei é que faço uma pequena massagem nos fios pro produto penetrar melhor.

A primeira tabela que tive acesso foi aquela que mostrei no último post da série:

Semana 1 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 2 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 3 Hidratação Hidratação Reconstrução

Mas eu lavava os cabelos todos os dias por causa da oleosidade, então adaptei esse calendário pra minha rotina. Como lavava os cabelos todos os dias, cronograma todos os dias. Duas hidratações e uma nutrição, sempre repetindo esse processo. No dia primeiro de cada mês fazia uma reconstrução e uma vez por semana fazia umectação. Usava azeite de oliva extra virgem mesmo, passava de noite, dormia com o azeite e, no dia seguinte de manhã, fazia uma nutrição. Aí embaixo fiz a simulação do meu cronograma por um mês.

01 R 02 N 03 H 04 H U 05 N 06 H 07 H
08 N 09 H 10 H U 11 N 12 H 13 H 14 N
15 H 16 H 17 N 18 H 19 H U 20 N 21 H
22 H 23 N 24 H 25 H U 26 N 27 H 28 H
29 N 30 H 31 H U

R = reconstrução; N = nutrição; H = hidratação; U = umectação (a U faço logo antes de dormir, não no banho).

Comecei com produtos prontos de hidratação, nutrição e reconstrução, máscaras fáceis de encontrar em qualquer farmácia. A cada produto que acabava comprava um novo pra testar, assim fui escolhendo meus preferidos. Com essa experimentação toda descobri que meus cabelos gostam mesmo é de hidratação. Sempre fiz nutrição e umectação com frequência, mas ele fica macio e gostoso na hidratação. Descobri também que, com uma reconstrução por mês, meus fios já ficavam meio rígidos, eu gostava, ficavam mais encorpados, mas era suficiente.

Essas são as máscaras que já usei no meu cabelo. Ele se adapta muito bem aos cremes de hidratação, mas o Yamasterol puro é bem fraquinho, fica ótimo se usar batizado. Para Nutrição gostei mesmo do Discipline Liss. Reconstrução eu fazia só uma vez por mês, então não tive problemas. A fórmula do RMC é muito melhor do a que a do Elseve, mas no cabelo virgem os dois eram bons.

Essas são as máscaras que já usei no meu cabelo. Ele se adapta muito bem aos cremes de hidratação, mas o Yamasterol puro é bem fraquinho, fica ótimo se usar batizado. Para Nutrição gostei mesmo do Discipline Liss da Amend. Reconstrução eu fazia só uma vez por mês, então não tive problemas. A fórmula do RMC é muito melhor do a que a do Elseve, mas no cabelo virgem os dois eram bons.

A oleosidade excessiva do meu cabelo me incomodava, eu precisava lavar meus cabelos todos os dias. Decidi que ia tentar mudar isso e comecei a lavar os cabelos três vezes por semana. No início era terrível, no segundo dia só conseguia usar o cabelo preso, coque e trança viraram meus melhores amigos. Com o tempo meu cabelo foi se acostumando e ficando cada vez menos oleoso. Claro que não dá pra comparar o cabelo recém saído do banho com aquele dois dias depois, mas melhorou demais.

Aí comecei com as transformações capilares, decidi virar ruiva. O processo foi meio tenso, de repente conto em uma outra ocasião, mas consegui o sonhado laranjinha. Achei que, pelo cabelo estar tingido, ia precisar mudar meu cronograma, mas não, ele continuou preferindo a hidratação. Acho que foi nessa época que comecei os batismos. Meus primeiros batismos foram de hidratação no creme Yamasterol com Bepantol líquido e glicerina líquida.

Voltei ao cabelo virgem e depois decidi tentar o platinado dos meus sonhos. Consegui sem muitos danos e, surpreendentemente, o cabelo continuava amando hidratações. Mas aí comecei a perceber uns poucos fios quebrados e fui perguntar pra minha cabeleireira. Ela me disse para suspender as hidratações e focar em nutrição e reconstrução. E é o que tenho feito até hoje, não faço mais hidratações, são duas nutrições para uma reconstrução. Depois disso passei por cabelos elásticos e um pequeno corte químico, mas conto como recuperei em outro momento.

Atualmente para mim todas as semanas são iguais, nutrição segunda e quarta e reconstrução na sexta. Ainda não notei meus cabelos rígidos demais, mas vejo que estão bem mais fortes, quebrando bem menos.

1ª lavagem (2ª feira) 2ª lavagem (4ª feira) 3ª lavagem (6ªfeira ou Sábado)
Nutrição umectação Nutrição Reconstrução
meus cremes atuais

1 Yamasterol amarelo, meu creme base; 2 óleo de coco; 3 óleo de argan; 4 queratina líquida da Bioextratus; 5 queratina hidrolisada da Novex; 6 Super óleo 8 da Garnier, meu finalizador; 7 potinho para fazer meus batismos. Se quero uma nutrição misturo o 1 com o 2 ou 3; se quero reconstrução uso o 5 e depois o 1 com o 4, ou só 1 e 4. Para finalizar, 6.

Hoje em dia, por ter a maior parte do cabelo ainda frágil com tantas descolorações, mantenho nutrições, umectações e reconstruções. Atualmente estou usando quase que apenas produtos batizados, minha umectação é com óleo de coco ou argan extra virgem, minha base de creme é o Yamasterol amarelo. Para nutrição acrescento algumas gotas de um dos óleos, para reconstrução umas gotas de queratina líquida. Uso também a queratina hidrolisada da Novex, passo no cabelo todo, deixo alguns minutos, depois passo a máscara e enxáguo normal.

Embora platinado, meu cabelo continua macio e bonito. Estou esperando crescer e sair a parte loira, aí volto a fazer hidratações.

Quais seus produtos preferidos? Não esquece de curtir a página no Facebook e me seguir no Instagram.

Beijos

Tag Liebster Award ou Tag 11 coisas

Oi gente,

Hoje o post vai ser um pouco diferente, vou responder uma tag. A tag se chama Liebster Award ou tag das 11 coisas. Fui tagueada pela Bia Vicenzo do blog Wanderlust.

Vamos às regras:

  • Escrever 11 fatos sobre você;
  • Responder às perguntas de quem te indicou;
  • Indicar 11 blogs com menos de 200 seguidores;
  • Fazer 11 perguntas para quem você indicar;
  • Linkar de volta quem te indicou.

selo Liebster Award

11 fatos sobre mim

1 – Já sobrevivi a um tornado. Foi em Outubro de 2014 no Rio Grande do Sul.

2 – Tirei CNH logo que fiz 18 anos, mas dirigi pouquíssimas vezes e minha carteira está vencida há uns 3 anos.

3 – Antes de vir morar em Floripa nunca tinha me mudado, na verdade nunca tinha nem mudado de quarto.

4 – Quando eu era criança meu animal preferido era o cachorro, mas atualmente é gato. Passei a gostar mais de gatos quando tive o primeiro gato, eu devia ter uns 10 anos.

5 – Nunca tive televisão, não tinha na casa dos meus pais e continuo não tendo agora.

6 – Nunca acompanhei uma série inteira, no máximo assisti alguns episódios.

7 – Meus primeiros gatos eram, na verdade, do vizinho, mas fugiram lá pra casa e ficamos cuidando deles. O primeiro gato que pegamos pra nós mesmo foi o Ivan em 2010.

8 – Não gosto de frutos do mar. Como peixes sem problemas e lula também, mas camarão, ostras e lagosta, detesto.

9 – Fondue é uma comida muito perigosa. Já quase coloquei fogo na mesa quando estava comendo por duas vezes.

10 – Não gosto de ver sangue nem em filmes, e também detesto tirar sangue, principalmente porque minha veia é fina e profunda, é comum terem que furar meus dois braços.

11 – Adoro blogs e vídeos de culinária, mas detesto cozinhar.

DSC_0029

11 perguntas que a Bia fez:

1 – Você se arrepende de algo que não fez?

Não me lembro de nada específico que eu me arrependa, mas, como já disse nesse post, muitas vezes, por preguiça e desânimo, acabo ficando em casa e aproveitando pouco a cidade, principalmente em dias mais nublados.

2 – Quais são seus maiores medos?

Atualmente tem a ver com minha carreira, não conseguir crescimento profissional.

3 – Se pudesse chamar alguém para jantar uma noite (vivo/morto, famoso/ou não), quem chamaria e por quê?

Por jantar eu penso em conversa e assunto, por isso chamaria sir Arthur Conan Doyle, escritor do Sherlock Holmes. Sherlock é um dos meus personagens favoritos desde sempre, seria o máximo conversar com o criador.

4 – Qual a ideia por trás do nome do seu blog?

Eu queria um nome que não me limitasse e me permitisse falar de todos os meus interesses, inclusive os que ainda vão surgir. Testei vários nomes e Isso, aquilo e tal foi o que mais gostei entre os que estavam vagos.

5 – Quais os top 3 lugares que você ainda quer conhecer?

Grécia, Índia e Londres.

6 – Qual foi a última vez que você fez algo novo?

Sábado fui conhecer uns lugares em Floripa que não tinha ido e há sete meses saí da casa dos meus pais e mudei de estado.

7 – Qual melhor filme de todos os tempos para você?

Não sei dizer meu filme favorito, mas com certeza, o filme que eu poderia ver todos os dias sem me cansar é A Bela e a Fera.

8 – Qual sua citação favorita?

Não faço a menor ideia, não tenho uma citação favorita.

9 – Quais línguas você fala além de Português?

Portunhol e me viro no Inglês.

10 – Qual ideia de um dia ideal para você?

Dormir tarde e acordar tarde, estar viajando e conhecendo novos lugares e comer algo muito bom.

11 – Qual foi sua paixão platônica em relação à alguém famoso?

Deve ter sido o Kevin dos BSB.

DSC_0033

11 blogs que indico (confesso que trapaceei, não conheço 11 blogs com menos de 200 seguidores, então alguns tem mais.)

1 – Blá blá blá da Kate

2 – Blog Gaby Brandão

3 – Blog Outspoken 

4 – Charme

5 – Desventure-se

6 – Drawn wings

7 – Locus M. A.

8 – Mari Carneiro 

9 – Meio enrolada

10 – Viagem na ponta do lápis 

11 – Yannez hair

11 perguntas pra eles responderem

1 – Quais os dois últimos livros que você leu?

2 – Por que decidiu criar um blog?

3 – Qual o pior filme de todos os tempos?

4 – Qual a melhor viagem que você já fez e por quê?

5 – O que você deseja realizar ainda esse ano?

6 – Quais são seus tipos de vídeos/ posts favoritos?

7 – Qual sua bebida (alcoólica ou não) favorita?

8 – Verdade ou consequência?

9 – Sua casa está pegando fogo, você só pode salvar 5 coisas (animais e pessoas estão a salvo), o que salvaria?

10 – Se você pudesse escolher qualquer show no mundo (artistas vivos ou mortos) para ir, qual seria?

11 – Com qual música você entrou ou gostaria de entrar na sua formatura?

Espero que tenham gostado da tag. Não esqueçam de curtir a página no Facebook e me seguir lá no Instagram.

Beijos

 

Necessaire de viagem – o que levar?

Oi gente,

Já disse em vários momentos que eu adoro viajar, certo? Então hoje vim mostrar para vocês as maquiagens que levo quando viajo.

DSC_0006

Sempre tento levar o mínimo de coisas possíveis. Na verdade, dependendo da viagem, nem levo maquiagem. Se vou acampar ou viajar para praia e sei que não sairei de noite levo só protetor solar mesmo. Mas quando levo maquiagem procuro levar o mínimo, mas também fazer uma necessaire relativamente completa.

DSC_0010

Para escolher os produtos levo em conta aqueles que já conheço bem e gosto do resultado. Não dá pra testar coisa nova na viagem e correr o risco de se arrepender. Levo também coisas práticas, rápidas de aplicar e tirar e fáceis de passar. Numa viagem eu, em geral, vou dormir tarde e acordo cedo, não vou querer ficar horas me maquiando, então praticidade é tudo.

DSC_0002

Para a pele: começo com um primer. Vou passar o dia inteiro fora, às vezes emendar a noite no dia, preciso que tudo fique no lugar por bastante tempo. Pore filler da Nyx.

Depois vem a base, gosto de base em pó pela praticidade em aplicar. Studio fix powder na cor NW25 da MAC.

Corretivo de longa duração pra esconder as olheiras que sempre aparecem quando dormimos pouco. Pro longwear na cor NC30 da MAC.

Blush pra terminar a pele. Vult cor 04.

Pó para levar na bolsa e retocar quando necessário, principalmente em lugares muito quentes. De-slick da Urban Decay.

Para o rosto levo um pincel fofinho para a base e o pó e outro de blush. Pincel kabuki da Coastal Scents e pincel retrátil O Boticário.

DSC_0006 (2)

Para os olhos: paletinha de sombras bem básicas e neutras, servem tanto para o dia quanto para a noite. Naked Basics da Urban Decay.

Lápis bege para dar um ar de acordada. Vult.

Lápis preto se eu for sair a noite. Ou levo o lápis ou o delineador, não vejo necessidade de levar os dois. Lápis Mega Impact Avon, delineador Isabela Capeto para Panvel.

Rímel. O legal desse é que é a prova d´água, mas sai facilmente com água quente. Dispensa o uso de demaquilante bifásico. Colossal super filme da Maybelline.

Lápis de sobrancelha para preencher. Vult.

Rímel transparente para deixar a sobrancelha no lugar. Toque de Natureza.

Pincel de olho levo um só, fofinho e macio, posso aplicar a sombra ou esfumar. Coastal Scents.

DSC_0009

Para a boca: hidratante labial para deixar a pele hidratada, principalmente no frio. Escolha um com proteção solar para o calor. Nivea.

Batom. Eu levo dois, um mais discreto, cor de boca e um mais chamativo, rosa, vermelho, vinho… O cor de boca é o Brave e o vermelho rosado o All Fired Up, ambos da MAC.

DSC_0012

Complementos: Demaquilante levo num potinho menor. Como o rímel sai com água quente, não preciso levar um bifásico. Bioderma.

Algodão e cotonete nunca é demais.

Perfume. Escolho um em embalagem menor ou amostra e sempre tomo muito cuidado para não quebrar. Meu jardim secreto é mais verde da Quem Disse, Berenice?

Grampinhos e elásticos de cabelo.

Assim fica minha necessaire em uma viagem. Se for uma viagem longa terei de levar mais demaquilante. Se eu sei que quero comprar algo no destino, posso tornar a necessaire mais compacta ainda, mas em geral é isso que eu levo.

Como é a necessaire de vocês? O que não pode faltar?

Beijos

Cronograma capilar – Reconstrução

Oi gente,

Finalmente hoje vamos falar da terceira etapa do cronograma capilar, a reconstrução.

foto 1 reconstrução

Reconstruir é repor no seu cabelo as proteínas que ele perdeu, repor massa. Se um cabelo não passa por grandes transformações químicas e é bem tratado, essa perda será bem pequena, mas o uso de químicas, principalmente a descoloração, faz com que ele perca bastante massa e precise de reposições mais frequentes.

O componente principal da reconstrução costuma ser a queratina, mas outras proteínas e aminoácidos também são usados. É uma etapa recomendada, principalmente, para quem tem cabelos com química, cabelos elásticos e pra quem percebe que os fios estão mais finos do que o normal, que perderam massa. Cabelos porosos e quebradiços também precisam de reconstrução.

foto 2 reconstrução

Mais uma vez, para saber quais são os cremes reconstrutores você pode recorrer a listas da Internet, ler os rótulos buscando queratina, arginina, proteínas hidrolisadas, creatina, cisteína, colágeno, proteína do trigo ou da soja, etc. ou preparar seu próprio creme. Pra essa última opção a reconstrução é a mais difícil de fazer, porque não encontramos muitos produtos reconstrutores para comprar em separado. Eu costumo usar queratina líquida mesmo, mas sei que dá pra usar colágeno em pó também.

Para cremes prontos não existe uma regra da função de cada máscara, muitas vezes ela depende do cabelo de cada um. A Bioextratus Shitake, por exemplo, está na lista de nutrição e de reconstrução também. Para você saber em qual etapa ela se encaixa para você, tem que ver o efeito que faz nos seus cabelos. Se ficarem mais macios e suaves, hidratação; mais pesados, sedosos e definidos, nutrição; mais encorpados, resistentes e até meio duros, reconstrução.

DSC_0002

O problema da reconstrução é que, se feito em excesso, pode causar problemas, o fio pode ficar rígido demais e quebrar por falta de elasticidade. Então se seu cabelo não tem danos profundos faça reconstruções bem espaçadas, uma vez por mês, por exemplo. E se seu cabelo começar a ficar rígido demais, espace ainda mais e capriche nas nutrições para dar flexibilidade e hidratações para maciez.

Pronto, agora você conhece todas as etapas, semana que vem vou contar para vocês como foi minha experiência e como montei meu cronograma. Mas vou deixar aí embaixo uma tabela básica do cronograma. É uma tabela básica pra você experimentar todas as etapas e, vendo o que se adapta melhor a você, montar a sua personalizada. Claro que, dependendo das químicas utilizadas ou do seu tipo de cabelo, o cronograma deve ser sempre modificado e atualizado.

Semana 1 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 2 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 3 Hidratação Hidratação Reconstrução

 Esse esquema conta com três lavagens semanais do cabelo. Se você lava mais vezes pode adaptar mantendo essa ordem nas suas lavagens (só cuidado com o excesso de reconstrução, se seu cabelo não tiver extremamente danificado e elástico, não faça reconstruções a cada semana, espere 15 dias entre elas no mínimo), ou fazer o cronograma três vezes na semana e nas outras vezes lavar seu cabelo normal.

Beijos