Assinatura RSS

Arquivo do mês: julho 2016

As meninas são mais bonitas na adolescência – ou incitação à pedofilia

Oi gente,

Outro dia estava conversando com algumas amigas sobre adolescência e uma delas disse que, embora tenhamos melhorado bastante dos nossos 15 anos para hoje, durante a adolescência, muitas meninas são bonitas, mas os meninos… Dificilmente algum salva.

josé-mayer-galã-presença-de-anita-maduro-novinha-pedofilia-isso-aquilo-e-tal

Será que isso é verdade, ou melhor, o que se esconde por trás dessa verdade? Pense nas meninas, desde crianças nós sofremos pressão para sermos bonitas, cuidarmos da nossa aparência e amadurecer depressa, desde pequenas somos sexualizadas e só a beleza é valorizada, a menina é linda, o menino é forte e inteligente.

A mulher é valorizada por ser novinha e o homem por ser maduro e bem sucedido. Basta olhar em sites de pornografia, em músicas, filmes, casais famosos… A novinha sempre tem destaque, a mulher precisa ser mais nova que o homem, muitas vezes bem mais nova, na pornografia, meninas que aparentam ter menos de 18 anos, são muitas vezes caracterizadas para parecerem crianças. Isso sem falar na pornografia e prostituição real de menores de idade, e nos casamentos infantis, ambos muito comuns aqui no Brasil.

Procura no Google imagens de age play, sugar daddy e sugar baby (age play seria brincar que uma das pessoas é muito mais velha que a outra, prática comum para atividades sexuais e claro, a mulher é, na maioria das vezes, a mais nova; sugar daddy é o homem maduro e bem sucedido que quer ostentar e sustentar uma sugar baby, a menina bonita e novinha).

Homem melhora com o tempo, ficam charmosos com seus cabelos brancos e marcas de expressão, tornam-se bem sucedidos, maduros. As mulheres não, elas precisam tingir o cabelo, usar cremes e fazer tratamentos estéticos, ou todos perceberão sua idade real, o que é um problema.

Homens podem envelhecer e continuar sendo galãs, olha o José Mayer, Antônio Fagundes e Tarcísio Meira (só pra ficar entre os brasileiros) que continuam (ou continuaram por muito tempo) fazendo papel de homens desejáveis. As mulheres não, elas logo perdem os papeis principais, são trocadas por outras mais jovens.

Não há nada essencial que faça as mulheres mais bonitas na adolescência ou a maturidade cair melhor para os homens. Mas nossa sociedade continua valorizando essa realidade, o que movimenta muito a indústria da beleza e das plásticas, sem falar na indústria pornográfica e da prostituição, e contribui bastante para perpetuar casais com enorme diferença de idade nos quais o homem é muito mais velho, o que poderíamos chamar também de pedofilia.

caetano-veloso-paula-lavigne-maduro-novinha-pedofilia-isso-aquilo-e-tal

Talvez vocês achem meio “radical” falar em pedofilia quando tratamos de mulheres maiores de 14 anos, mas o incentivo a esse tipo de relação, onde os homens são sempre os mais velhos, não pode ter outro nome. Eu insisto, pesquisem no Google imagens ‘age play’ e vocês vão ver mulheres fingindo serem crianças, ou até mesmo bebês (mas eu nunca vi um homem fingindo ser um bebê na hora do sexo), busquem ‘novinha’ em sites de pornografia e vocês verão também. Se atentem à média de idade da entrada de meninas na prostituição no Brasil (13 anos). Não é possível negar a cultura da pedofilia e como ela chega a nós nos mínimos detalhes.

Para me acompanhar sigam meu Instagram e a página do Facebook. Para receber os posts no seu e-mail, basta seguir o blog.

Beijos

Mais macho que você – expressões sexistas

Oi gente,

Já repararam que as expressões que envolvem “coisas de menina ou mulher” são bem diferentes daquelas que falam em “coisas de macho ou homem”?

UFC 184: Rousey v Zingano

Ronda Rousey

Pensem nessas frases “ele é uma moça”, “ela é muito mulherzinha”, “meu irmão bate como uma menina” e “sou mais homem que você”, “ele é muito homem”, “bate que nem macho!”. Deu pra perceber que as frases que usam os estereótipos femininos são sempre negativas, inferiorizando, e as outras, com estereótipos masculinas, são positivas, valorizam? Os exemplos variam bastante, mas o sentido geral se mantém.

Quando usamos uma frase dessas não precisamos explicar o que queremos dizer, todos sabem que ser como uma mulher é ruim e ser como um homem é bom. Se a gente quiser subverter essa lógica, por exemplo, dizer que lutar bem é lutar como uma mulher, temos que explicar esse novo sentido, já que naturalmente lutar como uma mulher é lutar mal.

Bom, eu sou mulher e não posso achar razoável que ser como eu (e como metade da população mundial) seja considerado negativo. Isso sem contar que mulheres são pessoas, cada uma com uma particularidade e habilidades diferentes, não há uniformidade em ser mulher (só o fato de ser mulher e ser criada como tal, mesmo). Pense nas mulheres que vocês conhecem, certamente elas possuem habilidades, e cada uma suas habilidades diferentes. Então qual o sentido de, quando dizemos “faz x coisa como uma mulher” querer dizer que a coisa é mal feita (a não ser que se trate de alguma habilidade dentro do estereótipo feminino, como limpar ou cuidar)?

Brazil v Korea Republic: Group E - FIFA Women's World Cup 2015

Marta

Somos criados com a ideia de que mulher é inferior, então é óbvio que mesmo as mulheres não querem se encaixar no estereótipo feminino, que é negativo, mas no masculino, positivo. Precisamos, não só parar de falar “agir como uma mulher” x “agir como um homem”, mas também chamara a atenção daqueles que ainda usam essas expressões e, claro, parar de ensinar que mulheres são inferiores.

Para me acompanhar sigam meu Instagram e a página do Facebook. Para receber os posts no seu e-mail, basta seguir o blog.

Beijos