Assinatura RSS

Arquivo da tag: Cronograma capilar

Atualizando meu cronograma capilar

Oi gente,

Já faz um tempo que contei pra vocês como estava sendo meus cuidados com os cabelos, né?

cabelo-cronograma-capilar-produtos-isso-aquilo-e-tal

Pois é, na época eu estava com o cabelo bem descolorido e fragilizado, seguia o cronograma capilar apenas com nutrição e reconstrução, não fazia hidratação. Agora estou com os cabelos virgens, que são naturalmente oleosos e bem fortes, são fininhos, mas chegaram no platinado ainda relativamente saudáveis, só foram quebrar no segundo retoque de raiz. Não dava mais pra continuar tratando igual, né?

Por isso vim aqui fazer um post de atualização, de como é meu cronograma capilar atual. O shampoo eu mantive o mesmo, apesar do meu cabelo ser oleoso, ele se dá bem com esse shampoo da Phytoervas. Mantive também a ideia de um creme base que vou batizando dependendo do dia da semana e do mês, eu estou usando um Seda, bem cheiroso e liberado pra Low poo.

Continuei também lavando os cabelos apenas três vezes na semana. Pode parecer impossível para quem tem cabelo oleoso, mas pra mim funciona, inclusive achei que diminuiu bem a oleosidade diminuindo as lavagens.

seg qua sex
Hidratação Hidratação Nutrição
Hidratação Hidratação Nutrição
Hidratação Nutrição Reconstrução

Como meu cabelo está bastante saudável e a etapa referida dele é a hidratação, não tenho feito umectação, mas se seu cabelo gosta mais de óleos ou suas pontas estão um pouco ressecadas, acho que é uma boa ideia incluir.

Hidratação

cabelo-cronograma-capilar-hidratação-isso-aquilo-e-tal

Tenho usado glicerina líquida, mas pretendo revezar com o Bepantol líquido também, deixam meu cabelo bem macio e sedoso. Como é a etapa preferida do meu cabelo virgem, é a que mais faço. Uso uma colher de sobremesa de creme, mais ou menos, para umas 4 gotas de glicerina ou Bepantol. Eu uso tão pouco creme porque tenho os fios bem curtos e não são ressecados, então essa quantidade deixa o cabelo inteiro com creme, sem exageros.

Nutrição

cabelo-cronograma-capilar-nutrição-isso-aquilo-e-tal

Continuo usando óleo de argan e de coco, ambos extra virgens. Como diminuí bem a quantidade de nutrições (antes eu fazia duas por semana), os óleos vão durar uma eternidade. Como o de coco fica sólido no frio (é totalmente normal), eu acabo usando mais nos dias de calor e deixando o de argan pros dias mais frios. Quem procura definição de cachos costuma gostar muito de nutrição, meu cabelo é liso e não tenho nada pra definir, então acabo fazendo menos vezes. A proporção é a mesma da nutrição, uma colher de sobremesa de creme para umas 4 gotas de óleo.

Reconstrução

cabelo-cronograma-capilar-reconstrução-isso-aquilo-e-tal

Estou usando só a queratina líquida da Bioextratus mesmo e acho suficiente. Já pensei em testar gelatina incolor, quando eu testar conto pra vocês o que achei. Reconstrução é bom pra cabelos mais frágeis e elásticos, foi com ela que salvei o meu. Agora faço uma vez só a cada 3 semanas. Coloco quatro gotas da queratina em uma colher de creme também.

Eu não controlo exatamente o tempo de pausa, deixo no cabelo durante o tempo do banho e aproveito pra esfoliar corpo e rosto. Pra finalizar uso o super óleo 8 da Granier.

Para me acompanhar sigam meu Instagram e a página do Facebook. Para receber os posts no seu e-mail, basta seguir o blog.

Beijos

Condicionador Seda Pureza refrescante

Oi gente,

Em geral eu demoro bastante pra acabar com qualquer tipo de produto, mas certamente os de cabelo são os que troco com mais frequência.

seda-recarga-natural-pureza-refrescante-condicionador-low-poo-cronograma-capilar-isso-aquilo-e-tal

E aí mais uma vez meu condicionador acabou e fui procurar um novo. Como sempre, queria um baratinho sem derivados do petróleo para poder batizar e seguir o cronograma. Dessa vez escolhi o Seda Pureza refrescante da linha Recarga natural, que se diz ideal para cabelos oleosos. Como meu cabelo está virgem e bem curto, ou seja, não existe passar creme só nas pontas, produtos que controlam a oleosidade são importantes.

Ele é um creme bem consistente e rende bem, eu uso bem pouquinho. Eu, particularmente, gosto de cremes mais densos, além de renderem mais, tenho a impressão de que desembaraçam melhor o cabelo e deixam mais sedoso. Eu gostei bastante desse condicionador, deixa o cabelo macio sem deixar pesado ou oleoso e consigo manter a lavagem dos cabelos dia sim, dia não, sem oleosidade, mesmo nos dias em que não lavo. Além disso, ele tem um cheiro bem gostoso que fixa por algumas horas no cabelo. Recomendo cheirar antes e só comprar se o cheiro te agradar.

seda-recarga-natural-pureza-refrescante-consistência-condicionador-low-poo-cronograma-capilar-isso-aquilo-e-tal

Além desse verdinho, a Seda tem outros condicionadores nessa linha Recarga natural, cada um com um propósito diferente. Eu não testei os outros e nem ao menos sei se são também liberados para low poo, mas se o seu cabelo não for oleoso e você achar que não vai se adaptar a essa versão, vale a pena olhar as outras.

Recomendo pra quem não tem muitos danos nos cabelos e quer apenas manter o desembaraço e maciez. Lembrando que eu sempre batizo o creme com algum agente hidratante, nutritivo ou reconstrutor, então não sei qual resultado ele teria completamente sozinho.

seda-recarga-natural-pureza-refrescante-ingredientes-condicionador-low-poo-cronograma-capilar-isso-aquilo-e-tal

Para me acompanhar sigam meu Instagram e a página do Facebook. Para receber os posts no seu e-mail, basta seguir o blog.

Beijos

Neutrox clássico

Oi gente,

Mudei um pouquinho meu cronograma, vim mostrar pra vocês o novo produto que estou usando.

condicionador-low-poo-cabelos-cuidados-cronograma-capilar-neutrox-isso-aquilo-e-tal-componentes

Há um pouco mais de mês meu Yamasterol acabou e eu fui no mercado procurar um substituto. Eu sabia que naquele mercado não ia encontrar o Yamasterol, então só procurei algum produto liberado pra low poo que fosse bem baratinho. Sim, o Yamasterol amarelo (que eu usava) é liberado pra no poo e ótimo pra quem faz co-wash, mas eu uso shampoo sem sulfato, então só precisava me livrar do petrolato mesmo. E aí encontrei um produto que quem teve infância nos anos 90 com certeza vai lembrar, o Neutrox amarelo.

Pois é, agora existem diversas versões de Neutrox, mas nem todas são liberadas. Esse amarelo com vermelho, a versão clássica com o mesmo cheiro e a mesma consistência da minha infância pode ser usado por quem faz low poo. É muita nostalgia, gente.

Eu estava acostumada com a textura do Yamasterol bem fluida, bem leve e o Neutrox é bem diferente, mais encorpado e, por isso, rende mais. Eu continuo usando como creme base, nunca sozinho, então misturo com produtos para potencializar a hidratação (que ainda não voltei a fazer), nutrição e reconstrução.

low-poo-cabelos-cuidados-cronograma-capilar-neutrox-isso-aquilo-e-tal

Acho que ele cumpre muito bem o que eu esperava dele e, batizado, hidrata, nutre, reconstrói bem meu cabelo. Mesmo sendo mais encorpado ele não deixa o cabelo pesado ou oleoso e é bem fácil de retirar. Sinto meu cabelo bem macio no dia seguinte, bom de passar a mão e fácil de pentear. Não é um creme super potente daqueles que “derretem” os fios, então se o seu cabelo estiver muito danificado não é a melhor opção, mas para um cabelo normal que quer apenas se manter bonito, ele é ótimo.

Não usei como condicionador puro, mas acredito que ele cumpra bem o papel (pelo menos quando eu era criança gostava muito). O cheiro é aquele clássico, não acho muito forte, mas tem quem deteste. O cheiro fica presente enquanto os cabelos estão molhados, mas depois que secam acho quase imperceptível e não me incomoda nem um pouco.

É uma opção bem barata e ótima para quem, como eu, só quer um creme base para as misturinhas ou quer um condicionador normal e segue o low poo. Nunca experimentei outros produtos da marca, então não sei dizer se a máscara ou o creme de pentear são bons ou liberados.

Fórmula

Fórmula

Quais seus produtos BBB (bom, bonito e barato) preferidos?

Para me acompanhar sigam meu Instagram e a página do Facebook. Para receber os posts no seu e-mail, basta seguir o blog.

Beijos

Low poo

Oi gente,

Vocês já ouviram falar de low poo? Eu sigo essa técnica há alguns meses, vem conhecer e ver o que eu acho.

cabelo

Já contei pra vocês como foi minha saga platinada, depois desse dia da primeira descoloração (que na verdade foram duas seguidas) ainda retoquei minha raiz duas vezes. Depois do primeiro retoque senti que meu cabelo estava mais frágil, principalmente na parte da franja, onde sempre fico passando a mão, e decidi que tinha que mudar os cuidados. Intensifiquei a queratina e a umectação e decidi também aderir ao shampoo sem sulfato.

Eu já tinha ouvido falar bastante de low poo e no poo, mas como tenho o cabelo oleoso, nunca achei que a técnica realmente funcionaria para mim. Com o cabelo bem mais frágil, decidi tentar. O low poo é uma técnica que visa diminuir a agressão causada pelos shampoos (low é pouco em inglês e poo é de shampoo). Pra tentar diminuir os danos existem alguns produtos que a gente evita, o sulfato dos shampoos e derivados de petróleo nos cremes (seja condicionador, máscara, óleo, creme de pentear…).

Mas por que eu deixaria de usar sulfato e derivados do petróleo? Bom, lá no post sobre shampoo eu falei um pouco que o shampoo sem sulfato agride menos o cabelo, então escolher não usar o sulfato é para o cabelo ficar mais saudável. Além da sujeira e oleosidade, o shampoo com sulfato tira também outros componentes do cabelo, deixando os fios mais fracos e com menos nutrientes. No momento em que comecei o low poo eu já estava com os cabelos bem fracos, não havia nenhuma necessidade de fazer nada que enfraquecesse ainda mais.

Meu time de produtos, que vocês já conhecem. Todos liberados.

Meu time de produtos, que vocês já conhecem. Todos liberados.

E por que abandonar os derivados do petróleo? O óleo mineral que aparece em muitos cosméticos de cabelo não traz nenhum benefício aos fios, apenas fica depositado ali e pode até dar uma cara mais bonita pro seu cabelo, mas é como maquiagem, pode disfarçar as imperfeições, mas não vai cuidar e nem melhorar de verdade seu cabelo. Ele é muito usado por ser muito barato (bem mais barato que óleos vegetais) e dar essa boa aparência. Pra nutrir usamos óleos vegetais, esses sim ajudam na saúde dos fios.

Tá, o óleo mineral não ajuda e é só uma maquiagem, mas também não danifica, qual o problema? Se você usa shampoo com sulfato não há nenhum problema, mas no caso do low poo só usamos sem sulfato, lembra? Pois é, o shampoo sem sulfato não é eficiente para retirar os derivados de petróleo, então aquele óleo mineral vai ficar se acumulando no seu fio, o acúmulo, além de deixar seu cabelo mais pesado e sem brilho, impede que os nutrientes que você coloca no cabelo realmente penetrem e tratem. Ele forma como uma película que blinda o cabelo. Então na verdade os derivados do petróleo só não são permitidos porque não conseguimos limpar adequadamente quando evitamos o sulfato.

Tem que conferir os sprays também!

Tem que conferir os sprays também!

Essa técnica é muito divulgada para pessoas com cabelos cacheados ou crespos que, em geral, sofrem mais com o ressecamento, mas eu tenho cabelos bem lisos e oleosos e pra mim tem dado certo. Não só na época em que eu estava com os cabelos bem descoloridos e ressecados, mas agora também, que a maior parte do meu cabelo já é natural, ele continua bem saudável. E o que é melhor, como não uso derivados de petróleo tenho certeza que essa é a forma verdadeira dele, não apenas maquiagem.

E como começar a técnica? Pra começar você vai precisar ler os rótulos dos produtos que tem em casa (ou procurar listas de produtos permitidos na Internet) e ver o que é ou não adequado ao low poo. Nos shampoos você deve procurar por esses componentes:

sulfatos

Esses são os sulfatos, portanto, proibidos. Se você achar qualquer um desses componentes na fórmula, o shampoo não serve para low poo. Eu uso o shampoo de Jaborandi da Phytoervas, limpa bem sem agredir. No restante dos produtos (cremes, óleos, sprays, etc) você deve procurar apenas o óleo mineral, ele pode vir sobre vários nomes:

derivados de petróleo

Se algum dos nomes acima estiver presente, o produto não serve para o low poo. Depois de classificar tudo em casa você pode comprar o que está faltando e partir pra técnica. Lave uma última vez seu cabelo com um shampoo com sulfato e a partir daí só deverá usar produtos sem derivados de petróleo e shampoos sem sulfato. Pode ser que seu cabelo demore alguns meses para se acostumar aos novos produtos, não desista e vá mudando o que você usa até achar produtos que realmente deem certo nos seus cabelos. Aqui tem o que eu estou usando nos meus cabelos. Mas também não torne essa técnica uma obrigação, quer usar óleo mineral, usa, só lembra de usar um shampoo com sulfato depois. Quer desistir, desiste. Cuidar dos cabelos deve ser algo legal, não um sofrimento.

Aqui os rótulos do shampoo Phytoervas e do Yamasterol amarelo

Aqui os rótulos do shampoo Phytoervas e do Yamasterol amarelo

Pra espaçar mais as lavagens existem algumas técnicas, como o co-wash, e existe também outra técnica que é o no poo, mas falo disso em um próximo post. Deixem nos comentários a experiência de vocês e me recomendem produtos.

Pra me acompanhar, sigam meu Instagram e curtam a página do Facebook. Pra receber os posts direto no seu e-mail, se inscreva no Blog. Já somos 50 inscritos, viram?

Beijos

Meus cuidados com o cabelo

Oi gente,

Quero contar pra vocês como eu montei o meu cronograma.

meus cuidados com os cabelos

Eu era uma pessoa que não cuidava nada do cabelo, passava shampoo, condicionador e só. Aí comecei a pintar e decidi mudar isso. Foi então que ouvi falar do cronograma capilar, lembro que na época meus cabelos estavam como na segunda foto, médios e virgens, eu estava me preparando para virar a ruiva laranjinha da quarta foto. No início pensei: poxa, não faço hidratação com um produto, vou fazer com três? Mas, surpreendentemente, não tive problemas, principalmente porque os produtos agem em três ou cinco minutos, não mudei quase nada a minha rotina de banho. Na verdade o que eu mudei é que faço uma pequena massagem nos fios pro produto penetrar melhor.

A primeira tabela que tive acesso foi aquela que mostrei no último post da série:

Semana 1 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 2 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 3 Hidratação Hidratação Reconstrução

Mas eu lavava os cabelos todos os dias por causa da oleosidade, então adaptei esse calendário pra minha rotina. Como lavava os cabelos todos os dias, cronograma todos os dias. Duas hidratações e uma nutrição, sempre repetindo esse processo. No dia primeiro de cada mês fazia uma reconstrução e uma vez por semana fazia umectação. Usava azeite de oliva extra virgem mesmo, passava de noite, dormia com o azeite e, no dia seguinte de manhã, fazia uma nutrição. Aí embaixo fiz a simulação do meu cronograma por um mês.

01 R 02 N 03 H 04 H U 05 N 06 H 07 H
08 N 09 H 10 H U 11 N 12 H 13 H 14 N
15 H 16 H 17 N 18 H 19 H U 20 N 21 H
22 H 23 N 24 H 25 H U 26 N 27 H 28 H
29 N 30 H 31 H U

R = reconstrução; N = nutrição; H = hidratação; U = umectação (a U faço logo antes de dormir, não no banho).

Comecei com produtos prontos de hidratação, nutrição e reconstrução, máscaras fáceis de encontrar em qualquer farmácia. A cada produto que acabava comprava um novo pra testar, assim fui escolhendo meus preferidos. Com essa experimentação toda descobri que meus cabelos gostam mesmo é de hidratação. Sempre fiz nutrição e umectação com frequência, mas ele fica macio e gostoso na hidratação. Descobri também que, com uma reconstrução por mês, meus fios já ficavam meio rígidos, eu gostava, ficavam mais encorpados, mas era suficiente.

Essas são as máscaras que já usei no meu cabelo. Ele se adapta muito bem aos cremes de hidratação, mas o Yamasterol puro é bem fraquinho, fica ótimo se usar batizado. Para Nutrição gostei mesmo do Discipline Liss. Reconstrução eu fazia só uma vez por mês, então não tive problemas. A fórmula do RMC é muito melhor do a que a do Elseve, mas no cabelo virgem os dois eram bons.

Essas são as máscaras que já usei no meu cabelo. Ele se adapta muito bem aos cremes de hidratação, mas o Yamasterol puro é bem fraquinho, fica ótimo se usar batizado. Para Nutrição gostei mesmo do Discipline Liss da Amend. Reconstrução eu fazia só uma vez por mês, então não tive problemas. A fórmula do RMC é muito melhor do a que a do Elseve, mas no cabelo virgem os dois eram bons.

A oleosidade excessiva do meu cabelo me incomodava, eu precisava lavar meus cabelos todos os dias. Decidi que ia tentar mudar isso e comecei a lavar os cabelos três vezes por semana. No início era terrível, no segundo dia só conseguia usar o cabelo preso, coque e trança viraram meus melhores amigos. Com o tempo meu cabelo foi se acostumando e ficando cada vez menos oleoso. Claro que não dá pra comparar o cabelo recém saído do banho com aquele dois dias depois, mas melhorou demais.

Aí comecei com as transformações capilares, decidi virar ruiva. O processo foi meio tenso, de repente conto em uma outra ocasião, mas consegui o sonhado laranjinha. Achei que, pelo cabelo estar tingido, ia precisar mudar meu cronograma, mas não, ele continuou preferindo a hidratação. Acho que foi nessa época que comecei os batismos. Meus primeiros batismos foram de hidratação no creme Yamasterol com Bepantol líquido e glicerina líquida.

Voltei ao cabelo virgem e depois decidi tentar o platinado dos meus sonhos. Consegui sem muitos danos e, surpreendentemente, o cabelo continuava amando hidratações. Mas aí comecei a perceber uns poucos fios quebrados e fui perguntar pra minha cabeleireira. Ela me disse para suspender as hidratações e focar em nutrição e reconstrução. E é o que tenho feito até hoje, não faço mais hidratações, são duas nutrições para uma reconstrução. Depois disso passei por cabelos elásticos e um pequeno corte químico, mas conto como recuperei em outro momento.

Atualmente para mim todas as semanas são iguais, nutrição segunda e quarta e reconstrução na sexta. Ainda não notei meus cabelos rígidos demais, mas vejo que estão bem mais fortes, quebrando bem menos.

1ª lavagem (2ª feira) 2ª lavagem (4ª feira) 3ª lavagem (6ªfeira ou Sábado)
Nutrição umectação Nutrição Reconstrução
meus cremes atuais

1 Yamasterol amarelo, meu creme base; 2 óleo de coco; 3 óleo de argan; 4 queratina líquida da Bioextratus; 5 queratina hidrolisada da Novex; 6 Super óleo 8 da Garnier, meu finalizador; 7 potinho para fazer meus batismos. Se quero uma nutrição misturo o 1 com o 2 ou 3; se quero reconstrução uso o 5 e depois o 1 com o 4, ou só 1 e 4. Para finalizar, 6.

Hoje em dia, por ter a maior parte do cabelo ainda frágil com tantas descolorações, mantenho nutrições, umectações e reconstruções. Atualmente estou usando quase que apenas produtos batizados, minha umectação é com óleo de coco ou argan extra virgem, minha base de creme é o Yamasterol amarelo. Para nutrição acrescento algumas gotas de um dos óleos, para reconstrução umas gotas de queratina líquida. Uso também a queratina hidrolisada da Novex, passo no cabelo todo, deixo alguns minutos, depois passo a máscara e enxáguo normal.

Embora platinado, meu cabelo continua macio e bonito. Estou esperando crescer e sair a parte loira, aí volto a fazer hidratações.

Quais seus produtos preferidos? Não esquece de curtir a página no Facebook e me seguir no Instagram.

Beijos

Cronograma capilar – Reconstrução

Oi gente,

Finalmente hoje vamos falar da terceira etapa do cronograma capilar, a reconstrução.

foto 1 reconstrução

Reconstruir é repor no seu cabelo as proteínas que ele perdeu, repor massa. Se um cabelo não passa por grandes transformações químicas e é bem tratado, essa perda será bem pequena, mas o uso de químicas, principalmente a descoloração, faz com que ele perca bastante massa e precise de reposições mais frequentes.

O componente principal da reconstrução costuma ser a queratina, mas outras proteínas e aminoácidos também são usados. É uma etapa recomendada, principalmente, para quem tem cabelos com química, cabelos elásticos e pra quem percebe que os fios estão mais finos do que o normal, que perderam massa. Cabelos porosos e quebradiços também precisam de reconstrução.

foto 2 reconstrução

Mais uma vez, para saber quais são os cremes reconstrutores você pode recorrer a listas da Internet, ler os rótulos buscando queratina, arginina, proteínas hidrolisadas, creatina, cisteína, colágeno, proteína do trigo ou da soja, etc. ou preparar seu próprio creme. Pra essa última opção a reconstrução é a mais difícil de fazer, porque não encontramos muitos produtos reconstrutores para comprar em separado. Eu costumo usar queratina líquida mesmo, mas sei que dá pra usar colágeno em pó também.

Para cremes prontos não existe uma regra da função de cada máscara, muitas vezes ela depende do cabelo de cada um. A Bioextratus Shitake, por exemplo, está na lista de nutrição e de reconstrução também. Para você saber em qual etapa ela se encaixa para você, tem que ver o efeito que faz nos seus cabelos. Se ficarem mais macios e suaves, hidratação; mais pesados, sedosos e definidos, nutrição; mais encorpados, resistentes e até meio duros, reconstrução.

DSC_0002

O problema da reconstrução é que, se feito em excesso, pode causar problemas, o fio pode ficar rígido demais e quebrar por falta de elasticidade. Então se seu cabelo não tem danos profundos faça reconstruções bem espaçadas, uma vez por mês, por exemplo. E se seu cabelo começar a ficar rígido demais, espace ainda mais e capriche nas nutrições para dar flexibilidade e hidratações para maciez.

Pronto, agora você conhece todas as etapas, semana que vem vou contar para vocês como foi minha experiência e como montei meu cronograma. Mas vou deixar aí embaixo uma tabela básica do cronograma. É uma tabela básica pra você experimentar todas as etapas e, vendo o que se adapta melhor a você, montar a sua personalizada. Claro que, dependendo das químicas utilizadas ou do seu tipo de cabelo, o cronograma deve ser sempre modificado e atualizado.

Semana 1 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 2 Hidratação Hidratação Nutrição
Semana 3 Hidratação Hidratação Reconstrução

 Esse esquema conta com três lavagens semanais do cabelo. Se você lava mais vezes pode adaptar mantendo essa ordem nas suas lavagens (só cuidado com o excesso de reconstrução, se seu cabelo não tiver extremamente danificado e elástico, não faça reconstruções a cada semana, espere 15 dias entre elas no mínimo), ou fazer o cronograma três vezes na semana e nas outras vezes lavar seu cabelo normal.

Beijos

Cronograma capilar – Nutrição

Oi gente,

Mais um post de cronograma capilar, vamos hoje falar do segundo tipo de creme que podemos usar para tratar os cabelos, cremes de nutrição.

foto 1

Produtos nutritivos

Nutrição é a reposição de lipídios nos cabelos e essa reposição é feita, na maior parte das vezes, com gordura vegetal, ou seja, principalmente óleos e manteigas vegetais. Procura nos rótulos nomes de plantas seguidos de oil ou butter. Algumas pessoas usam também gordura animal, como leite, creme de leite e tutano.

A nutrição é bem indicada para cabelos que estão porosos ou com muito frizz. Essa etapa ajuda a reduzir o volume, definir cachos e melhorar aquelas pontas secas e espigadas. Os óleos e manteigas deixam os cabelos mais pesados, por isso, menos volumosos. Se você acha que seu cabelo poderia ter um caimento melhor, experimenta a nutrição. Em geral, pessoas com cabelos cacheados se dão muito bem com essa etapa e usam óleos, tanto nos cremes, quanto para finalizar o cabelo. No mercado existem vários óleos finalizadores, mas você pode também optar por usar óleos naturais.

Exemplos de cremes de nutrição

Exemplos de cremes de nutrição

Assim como na hidratação, para achar cremes que são nutritivos você pode procurar listas na Internet, ler os rótulos buscando nomes de vegetais seguidos de butter ou oil ou montar seu próprio creme nutritivo, que é o que eu faço atualmente.

E o que eu acrescento no meu creme básico? Óleos e manteigas, claro. Eu gosto muito de óleo de coco, argan ou oliva (azeite extra virgem). Só toma cuidado quando for comprar seu óleo, para ver se ele é puro mesmo, está cheio de “óleos” no mercado que na verdade são silicone puro, que não vão realmente tratar seu cabelo. Os meus óleos eu comprei na Internet mesmo e o azeite é o mesmo que uso na comida. Pego o creme que vou usar e acrescento um pouco de óleo. A quantidade vai depender muito do seu cabelo, eu uso bem pouco porque, como disse no outro post, meu cabelo é fino e oleoso, se usar muito ele fica pesado demais.

Outra coisa que podemos fazer na etapa na nutrição é a umectação. Umectação é você pegar bastante óleo (e aí tem que ser óleo puro, extra virgem, não pode ser composto) e passar no cabelo, principalmente nas pontinhas. É pra encharcar mesmo. O cabelo fica sim muito oleoso, com aquela cara de bem sujo, mas é essa a ideia. Aí você deixa o óleo bastante tempo no cabelo, no mínimo 1h, e depois toma seu banho normal, shampoo e creme de nutrição. Essa prática melhora muito o aspecto do cabelo, principalmente as pontas. Eu costumo passar o óleo antes de dormir e deixar agindo a noite toda. Na manhã seguinte lavo os cabelos.

Meus produtinhos para nutrição: creme Yamasterol, óleo de argan, óleo de coco e óleo super 8 Garnier

Meus produtinhos para nutrição: creme Yamasterol, óleo de argan, óleo de coco e óleo super 8 Garnier

A nutrição não é tão leve quanto a hidratação, então é melhor para cabelos naturalmente mais secos e frágeis ou com danos leves. Mas se você fizer nutrição demais não vai acontecer nada grave, seus cabelos vão ficar pesados e mais oleosos, não com a oleosidade natural da raiz, mas com o comprimento oleoso também. É só lavar e espaçar mais as nutrições que resolve. Nos meus cabelos virgens, por exemplo, eu fazia uma nutrição a cada três lavagens mais ou menos, mas cada um deve regular de acordo com seus cabelos.

Compartilha nos comentários se você tiver algum outro creme de nutrição para indicar.

Beijos

Cronograma Capilar – Hidratação

Oi gente,

Continuando com os posts do cronograma capilar.

foto 1 do post

Depois que você já lavou bem seu couro cabeludo e tirou bem a oleosidade, vem a parte de tratar os fios. Você não precisa passar shampoo no comprimento e pontas dos fios, viu? Passa só na raiz que é a parte mais oleosa e o shampoo que escorrer quando você enxaguar vai ser suficiente para lavar o restante do cabelo.

E aí vem a hora de cuidar dos fios. Como eu disse no primeiro post da série, no cronograma capilar você, ao invés de usar condicionador depois do shampoo, vai usar uma máscara de tratamento. Existem três possibilidades de cuidar dos fios e hoje vou falar de uma delas, a hidratação. Hidratação é você repor água no seu cabelo. Com as agressões do dia a dia seu cabelo perde água, por isso é tão importante repor a água perdida.

Exemplos de cremes hidratantes

Exemplos de cremes hidratantes

A hidratação é, entre as três etapas de tratamento, a mais leve, aquela que vai deixar seu cabelo mais macio. Mesmo cabelos mais fortes e sem química podem receber essa etapa. O meu cabelo virgem é fino, liso e oleoso, sem volume nenhum, a hidratação é a etapa preferida dele, que deixa os fios macios e gostosos de passar a mão, sabe?

Se seus cabelos estão um pouco sem viço, mas não estão danificados de verdade, a hidratação deve ajudar bastante. Só não recomendo hidratação para cabelos muito frágeis. Fios elásticos, por exemplo. Eles já estão flexíveis e moles, moles até demais, a hidratação pode piorar o caso do seu cabelo, intensificando a quebra.

Mas como vou reconhecer uma máscara de hidratação? Bom, existem alguns caminhos, você pode:

  • Pesquisar na Internet e em grupos do Facebook (existem alguns bem completos);
  • Ler os rótulos dos cremes antes de comprar e reconhecer os ingredientes hidratantes. São eles o aloe e vera (babosa), glicerina, vitaminas, Bepantol (ou D-pantenol), extratos de frutas, chocolate, açúcar etc;
  • “Fazer” seu próprio creme, isso é, comprar um creme bem levinho e básico, que não vai fazer muita diferença no seu cabelo e batizar com elementos hidratantes.

No início eu pesquisava no Facebook e fazia uma lista com cremes hidratantes. Ia na farmácia ou perfumaria e tentava encontrar algum produto da lista. Depois comecei a ler os ingredientes, mas não é uma tarefa muito fácil, porque além dos agentes hidratantes têm muitos outros ingredientes e é fácil a gente ficar confuso. Além disso, nunca sabemos exatamente a quantidade do agente, pode ser que em um potão de creme tenha só umas gotinhas de babosa.

Meu kit hidratação: Yamasterol, Bepantol líquido ou glicerina e meu potinho plástico para misturinhas.

Meu kit hidratação: Yamasterol, Bepantol líquido ou glicerina e meu potinho plástico para misturinhas.

Aí comecei a batizar meus cremes. Compro algum bem leve (o meu preferido é o Yamasterol, leve e bem baratinho) e batizo. Adoro usar Bepantol líquido e glicerina, mas tenho vontade de experimentar babosa também. Existem muitas receitas caseiras na Internet, é só pesquisar.

A hidratação é a etapa “mais simples”, por isso, a maioria dos cremes que a gente encontra em farmácias e mercados são de hidratação. Mesmo que diga nutrição ou reconstrução, a maior parte tem bem poucos agentes realmente nutritivos ou reconstrutores.

Se for usar esse terceiro método, não se esqueça de batizar só a parte que você vai usar. coloca a quantidade de creme que vai usar em um pote separado, junta com a quantidade do agente extra que você quer colocar, mistura e usa. Assim você evita de mudar a fórmula do produto original e alterar cheiro, cor, textura e prazo de validade. Evita também de colocar seus dedos no creme, porque diminui a durabilidade dele e não usa colher ou pote de metal, pode oxidar o produto, usa de plástico mesmo.

Essa é a primeira etapa do cronograma capilar, já pode colocar em prática da próxima vez que for lavar os cabelos. Se vocês têm outras dicas de máscaras hidratantes, deixem nos comentários.

Beijos

Cronograma capilar – Shampoo

Oi gente,

Hoje venho dar continuidade ao post de cronograma capilar. Se você não viu o primeiro, olha aqui.

Bom, a primeira coisa que precisamos saber para cuidar dos cabelos é lavar. Ok, todo mundo sabe passar shampoo, né? Mas de uns tempos pra cá eu mudei algumas coisas na minha lavagem e queria dividir meus novos conhecimentos com vocês.

A primeira coisa é usar a água como aliada. Eu sempre fui do tipo que molhava um pouquinho o cabelo e já ia passando o shampoo, mas atualmente faço diferente. Molho o cabelo e fico um tempo apenas com água escorrendo. Muitas das sujeiras de nosso cabelo podem se dissolver na água, como o suor, poeira, poluição e até aquele creme que passamos depois do último banho. Deixo escorrer água no cabelo até a água sair limpinha e transparente. Às vezes aproveito e já massageio o couro cabeludo só com água mesmo.

Só depois disso passo shampoo. Como já limpei diversas sujeiras do cabelo (a água não é chamada solvente universal a toa), vou precisar de muito menos shampoo.

Existem diversos tipos de shampoos, cada um para uma finalidade, não entendo muito disso, mas aqui tem um post que pode ajudar. Já ouvi muito que os shampoos se dividem em três categorias, transparentes, perolados e leitosos. Os transparentes seriam melhor para limpeza, os perolados seriam um meio termo e os leitosos, para tratamento. Mas já li também que isso nem sempre é assim. Quer dizer, não existe uma obrigação química para um shampoo de limpeza ser transparente ou um de tratamento ser leitoso. Mas como isso já virou conhecimento público, muitos fabricantes usam sim essa diferença. Então é provável que o shampoo transparente seja melhor para uma limpeza profunda sim, mas não é regra.

shampoos

Não tenho nenhum shampoo leitoso em casa, então peguei a foto do Google, nesse blog aqui.

Além da aparência do shampoo, tem outra coisa que eu presto atenção, se o shampoo é com ou sem sulfato. Faz alguns anos que ouvi pela primeira vez que o shampoo sem sal era melhor pro cabelo, me lembro bem, foi em 2007. Na época eu nunca tinha feito hidratação, não cuidava nada do cabelo, nem liguei. Mas aí muitas marcas começaram a anunciar que seus shampoos era sem sal e anos depois comecei a me interessar em cuidar do cabelo. Pois é, mas sem sal e sem sulfato são coisas bem diferentes.

Lembra de Química Inorgânica na escola? Ok, eu também não, mas lembro que a gente estudava sais e tinha que saber os nomes deles. Existiam vários sais e o sal de cozinha (NaCl) era só um deles. Pois é, quando um shampoo diz que é sem sal, ele quer dizer que não tem cloreto de sódio, o sal de cozinha. Quando o shampoo é sem sulfato ele não tem na composição nenhum sal, nem o de cozinha nem nenhum outro.

Ok, mas qual o problema do sal? O sal (e não só o de cozinha) agridem bastante o cabelo. Eles limpam sim, mas também retiram, além da sujeira, nutrientes do cabelo. Então para fugir desses sais agressivos temos que procurar os shampoos sem sulfato. O problemas dos shampoos sem sulfato (que não tem nenhum sal) são que são mais caros que os shampoos normais de mercado e também fazem menos espuma. Eles limpam bem, mas pra quem está acostumado com muita espuma, faz falta.

Eu estou usando shampoo sem sal fazem alguns meses, e realmente eles são bem mais gentis com o cabelo.

Existem ainda os shampoos antirresíduos, eles podem ou não ter sulfato e realizam uma limpeza mais profunda, retirando os resíduos de creme, óleos e outros produtos que se acumulam no cabelo. Eles não são muito indicados pra quem usa química, já que podem acelerar a retirada, seja no desbotamento da tinta, seja na perda de efeito da progressiva. Também não são indicados para uso diário ou para cabelos muito ressecados, já que a limpeza é mais profunda e fragiliza mais o fio.

Na foto abaixo coloquei os shampoos que tenho em casa, o primeiro é Johnson´s amarelinho de bebê, um shampoo transparente com sulfato que uso para lavar meus pincéis, o segundo é o Amend, um shampoo também transparente e com sulfato, mas antirresíduos. Eu usava de 15 em 15 dias, mas atualmente não uso mais. O terceiro é meu shampoo atual, sem sulfato e transparente da Phytoervas. Gosto muito dele, especialmente nos meus cabelos fragilizados. O último é um shampoo Seda com sulfato e perolado. Acho que Seda todo mundo conhece.

DSC_0011

Então shampoos com sulfatos agridem mais o cabelo, mas também dão a sensação maior de limpeza (sabe quando você passa a mão nos fios e eles “cantam”? shampoo sem sulfato não costumam fazer isso) e shampoos sem sulfato agridem menos, mas fazem menos espuma e não tiram totalmente as camadas de proteção do cabelo.

Vou repetir que não sou cabeleireira nem especialista, isso é como eu entendo e aplico no meu dia a dia. Se houver algum conceito errado, seja de química, seja de cabelo, me corrijam nos comentários pra eu consertar o post.

Beijos

Cronograma capilar – Introdução

Oi gente,

Hoje quero falar um pouco de cuidados com os cabelos. Como sei que esse assunto é bem extenso, já vi que isso vai virar uma série de posts também. Atualmente vejo bastante gente falando do cronograma capilar, mas quando eu comecei, em 2012, não ouvia tanta gente falando nisso. Pra quem não conhece, vou apresentar esse método de cuidar dos cabelos.

Ele se baseia em tratamento contínuo e adaptado para o que o cabelo precisa. Nesta teoria aprendemos que precisamos repor água, óleos e proteína para o cabelo ser saudável. Então o tratamento busca repor essas substâncias dependendo das necessidades de cada cabelo.

Pois bem, mas o cronograma não é aceito por todo mundo e já ouvi muita gente dizendo que é besteira e não funciona. Bom, eu já tenho experiência há alguns anos e em mim posso dizer que funciona sim. Claro que seu cabelo não voltará a ser virgem, mas o tratamento contínuo traz melhoras sim.

Gosto de usar uma metáfora para mostrar meu ponto de vista. Vamos comparar o cabelo a uma estrada. A estrada nova é o cabelo virgem. Existem estradas que sofrem muito pouco, recebem apenas carros e motos e demoram anos para estragarem. Essas são como os cabelos virgens fortes e resistentes, sofrem a ação do sol, vento, cloro, shampoo, mas quase não percebemos os estragos, principalmente se a pessoa corta com frequência. Outras estradas recebem caminhões diariamente, ou estão muito perto do mar e sofrem com a maresia, são como cabelos que recebem poucas químicas, cabelo de quem usa muito secador, chapinha, baby liss, ou cabelos naturalmente mais frágeis. Existem ainda aquelas estradas que ficam em áreas de terremoto. Essas eu comparo com químicas mais pesadas ou uso de diversas químicas (oi cabelos platinados).

DSC_0003

Pois bem, a manutenção de cada uma das estradas será diferente, mas com o tempo todas vão sofrer danos e ter alguns (ou muitos) buracos. E então, se não há planos do governo de fazer uma nova estrada, colocamos areia nos buracos. A areia vai melhorar a aparência da estrada sim, assim como um creme pode melhorar a aparência do cabelo, mas jamais deixará as estradas como se fossem novas, para isso é preciso tirar o asfalto velho e colocar um novo. Ou cortar o cabelo estragado e deixar crescer o novo. Os cremes servem como uma ajuda e podem melhorar muito o aspecto do cabelo, mas não vai trazer seu cabelo virgem de volta. Por isso não adianta passar o creme uma vez e achar que o problema estará resolvido. É como a areia que a gente coloca para tapar o buraco, ela vai sair e vamos precisar recolocar mais sempre, até decidir trocar o asfalto.

Lógico que a alimentação também é muito importante, uma má alimentação ou problemas emocionais podem interferir muito na saúde dos fios.

Bom, mas e o cronograma? Para seguir o cronograma precisaremos mudar um pouco o nosso ritual de banho, ao invés de passar shampoo e depois condicionador, vamos passar o shampoo e depois uma máscara de tratamento. Pode ser uma daquelas de três ou cinco minutos, essas máscaras são mais potentes que o condicionador normal. O tempo que eu deixo a máscara é mais ou menos o mesmo que eu deixava o condicionador, a diferença é que não uso sempre a mesma máscara e faço um pouco de massagem nos fios, deixando eles bem desembaraçados e soltinhos.

Aos poucos, nos próximos posts, vou explicar melhor como mudar essa rotina e como repor os nutrientes que seus cabelos precisam.

Já ouviu falar do cronograma? Já usou? Me conta nos comentários.

Beijos