Assinatura RSS

O que achei do Kobo

Oi gente,

Quem acompanha os posts sobre livros já está cansado de ver fotos do meu e-reader. Pois é, comprei (na verdade ganhei) o Kobo em 2013.

DSC_0043

Existem vários e-readers no mercado. No Brasil, que eu saiba, são três os principais, o Kindle da Amazon, o Lev da Saraiva e o Kobo da Livraria Cultura. Vou falar do Kobo e da minha experiência com ele nesses dois anos.

Ele é um e-reader, ou seja, um leitor de e-books, feito para ler livros. Sei que muitas pessoas usam o tablet para ler livros, mas são aparelhos muito diferentes. Pra começar o kobo é totalmente preto e branco e sua tela não é luminosa, não é de lcd ou led, mas de e-ink. Essa tinta eletrônica (e-ink) se organiza na tela e forma as páginas, então outra grande diferença é a iluminação. O Ipad é luminoso, a tela emite luz, o Kobo não. Inclusive, por não emitir luz direto no nosso olho ele cansa bem menos a vista. A desvantagem é que precisaremos de uma luz externa, uma lâmpada, lanterna ou luz do Sol. O vidro do e-reader é fosco e anti reflexo, evitando atrapalhar a leitura.

Cada marca de e-reader tem diversos modelos, o meu é o Kobo Touch, ele, como o nome diz, é touch, tem apenas um botão físico para voltar à tela inicial. Versões mais recentes podem ter mais velocidade, Internet melhor e luz para auxiliar a leitura. Mesmo as versões com luz são muito diferentes dos Ipads, a luz vem da lateral da tela e, de fora, iluminam o texto, não é uma luz que vem de trás da tela em direção ao seu olho.

Página inicial com os livros lidos mais recentes

Página inicial com os livros lidos mais recentes

Realmente, no Kobo Touch a Internet não é muito boa, nem a velocidade do touch, não se compara a um smartphone, por exemplo. Inclusive, ao usar a Internet para navegar no Facebook, já consegui travar o Kobo. Não recomendo que ele seja intensamente utilizado para esses fins. Mas vamos lembrar que ele é um aparelho de leitura, não foi feito para ser um tablet.

Quanto a qualidade do touch, não é excelente e é bastante lenta, mas só uso o touch para trocar de página e fazer pequenas anotações, não preciso de mais sensibilidade ou qualidade. Isso é bem legal do e-reader, enquanto leio posso fazer algumas interações com o texto. Posso sublinhar trechos que achei importantes, marcar páginas, fazer anotações ou procurar palavras que não conheço no dicionário interno que é grátis e já vem pré-instalado (só é preciso escolher as línguas que você deseja e baixar). É possível também mudar a formatação do texto, trocar a fonte, aumentar ou diminuir o tamanho da letra e das margens, modificar o contraste e outras pequenas mudanças que tornam a leitura mais confortável.

Lista da minha biblioteca. Dá pra organizar em estantes também e agrupar os livros por assunto, nacionalidade, tipo, etc.

Lista da minha biblioteca. Dá pra organizar em estantes também e agrupar os livros por assunto, nacionalidade, tipo, etc.

Como eu disse, existem diversos e-readers no mercado (principalmente internacional) e a maioria deles usa o formato de texto Epub. É o formato de e-book mais usado, na verdade conheço apenas o Kindle que usa formato diferente. Por esse ser o formato mais usado, é também o mais fácil de encontrar, mas como o Kindle não usa, não é possível adquirir livros na Amazon. O Kobo tem aproximadamente 3GB de capacidade e cada e-book varia muito, alguns tem 100KB, outros 600kb. Tenho alguns arquivos de obras completas (como obras completas do Freud, de José de Alencar, Machado de Assis) que podem chegar a 5MB. Cabem muitos livros no Kobo, você não vai sentir falta de espaço. A bateria dele dura bastante também, como ele só gasta bateria para mudar de tela, mesmo você lendo todos os dias pode ficar umas duas semanas sem carregar.

Embora o formato preferencial de leitura seja o Epub, o Kobo lê PDF também. O problema do PDF é: ele acaba sendo interpretado como imagem. Então não é possível mudar a formatação do texto ou sublinhar pedaços. Então, em geral, as letras ficam muito pequenas e é bastante difícil de ler. Existem programas que passam de PDF para Epub, mas muitas vezes o arquivo perde a formatação. Dá pra aumentar letras, marcar o texto, etc, mas muitas vezes cada linha fica constando como um parágrafo, como se copiássemos um PDF para o word.

trecho marcado.

trecho marcado.

Eu não sou uma grande leitora de quadrinhos, mas também não recomendo o Kobo se você quiser ler HQ. Por ser preto e branco já perde bastante para os quadrinhos coloridos, além disso, mesmo em Epub eles são interpretados como imagem, então não é possível fazer nenhuma modificação nem marcação no texto. Mais uma vez, as letras ficam muito pequenas, dificultando bastante a leitura.

Amo demais o Kobo e acho muito prático, principalmente para viagens, ao invés de levar vários livros pesados, levo apenas o e-reader. Recomendo demais se você é uma pessoa que gosta de ler e gosta sempre de carregar um livro contigo. Se você está em busca de algo para ler, mas que também te possibilite usar a Internet, melhor comprar um tablet mesmo.

DSC_0046

Espero que tenham gostado, penso em fazer, futuramente, um post comparando o Kobo e o Kindle. Não esqueçam de me seguir no Istagram (@juliakubrusly) e curtir a página do blog no Facebook.

Beijos

Anúncios

»

  1. Pingback: Livro: Admirável mundo novo – Aldous Huxley | Isso, aquilo e tal

  2. Pingback: Aplicativo: Calibre | Isso, aquilo e tal

  3. Pingback: Livro de fotografia | Isso, aquilo e tal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: