Assinatura RSS

Arquivo da tag: Câmeras

Fotografia – Zoom

Oi gente,

Mais um post de fotografia, se não viu os outros, olha lá.

Fotografia – Introdução e tipos de câmera

Fotografia – Megapixel

Hoje, como disse na semana passada, vamos falar um pouco sobre zoom. O zoom também é uma característica que as pessoas procuram muito. As câmeras Bridge vendem muito em cima disso, porque têm 30, 50, 60 vezes de zoom e muita gente acha que quanto mais zoom melhor. Mas será que é assim mesmo?

Primeira coisa que devemos saber é o que é zoom? É bem comum que as pessoas achem que zoom é a aproximação da foto, por exemplo, olhe as fotos abaixo. Foram tiradas do mesmo lugar, mas com lentes diferentes. Na primeira foto, em 11mm, além do prédio ao fundo, conseguimos ver os edifícios laterais também.

Foto tirada com a câmera Nikon 5100 e a lente 11-16mm/ f2.8 em 11mm.

Foto tirada com a câmera Nikon 5100 e a lente 11-16mm/ f2.8 em 11mm.

A foto em 50mm já vemos praticamente só o prédio ao fundo.

Foto tirada com a câmera Nikon 5100 e a lente 50mm/ f1.8.

Foto tirada com a câmera Nikon 5100 e a lente 50mm/ f1.8.

A última foto, com a 200mm mostra só um detalhe do prédio, só algumas janelas.

Foto tirada com a câmera Nikon 5100 e a lente 55-200mm/ f3.5-5.6 em 200mm.

Foto tirada com a câmera Nikon 5100 e a lente 55-200mm/ f3.5-5.6 em 200mm.

Não devemos dizer que uma foto tem mais zoom que a outra, foto não tem zoom, o que tem zoom é a lente. Zoom é o movimento da lente onde ele vai alcançar maior ou menor distância focal.

Entre as câmeras compactas, todas (ou quase) possuem zoom, eu não conheço nenhuma compacta digital que não tenha, mas entre as DSLR existem muitas lentes que são fixas, não têm zoom. Então o zoom é uma coisa que a lente pode ter ou não, lentes zoom são mais versáteis, já que podem fazer tanto imagens mais abrangentes, quanto mais próximas e pontuais. Chamamos as várias distâncias possíveis de distância focal. Essa distância focal é medida em números, em milímetros, na verdade. Números menores são para um campo de visão mais aberto, números maiores, campos de visão mais fechados. Abaixo temos uma foto tirada em 11mm com uma lente zoom que vai de 11mm até 16mm.

Brasília. Foto tirada com a Nikon 5100 e a lente 11-16mm/ f2.8 em 11mm.

Brasília. Foto tirada com a Nikon 5100 e a lente 11-16mm/ f2.8 em 11mm.

As distâncias focais são divididas em três grupos dependendo de seu campo de visão. Aquelas mais abertas são chamadas grande angular, temos um exemplo na imagem aí em cima com a 11mm. As distâncias que se aproximam do olho humano, são chamadas normal e as que se aproximam dos objetos são tele. Abaixo você pode ver uma imagem tirada com a 50mm, uma lente normal.

Copos. Foto tirada com a Nikon 5100 e a lente 50mm/ f1.8.

Copos. Foto tirada com a Nikon 5100 e a lente 50mm/ f1.8.

Ok, as lentes são classificadas dependendo do tamanho do campo de visão, se a foto pega um ângulo mais aberto ou mais fechado. Mas e o que é aquele número que vemos nas câmeras de zoom de 3x ou 50x?

Para conseguir definir quantas vezes de zoom uma câmera tem, pegamos a menor distância focal que ela alcança (que é o maior número) e dividimos pela maior distância. Por exemplo, se uma câmera vai desde 11mm até 33mm, 33/11 = 3, então ela têm zoom de 3x. Se outra vai desde 50mm até 150mm, 150/50 = 3, ela também tem zoom de 3x, mas os enquadramentos das duas câmeras são totalmente diferentes. Outra câmera que faz enquadramento desde 24mm até 1200mm, 1200/24 = 50, o zoom é de 50x.

Lua. Foto tirada com a Nikon 5100 e a lente 55-200mm/ f3.5-5.6 em 200mm.

Lua. Foto tirada com a Nikon 5100 e a lente 55-200mm/ f3.5-5.6 em 200mm.

Então não basta saber de quantas vezes é o zoom, você deve saber também de quanto até quanto ele vai. Aí você vais poder escolher entre uma 11-33mm e uma 50-150mm sem se basear só no número de vezes que aumenta. Percebe que o enquadramento dessas duas é bem diferente? Não dá pra se basear só no zoom de 3x.

Para escolher a câmera ideal é bom você saber qual a distância focal que mais usa. Para saber isso, pensa nas fotos que você mais gosta. Para paisagens, por exemplo, grandes angulares são ótimas, para foto de pessoas, entre normal e tele, para tirar fotos de coisas distantes como a Lua ou um leão na África, tele. Pensando em quais fotos você mais tira, vai encontrar sua necessidade e descobrir as distâncias focais que mais precisa.

Eu, por exemplo, acho bem mais interessante a grande angular do que a tele, tiro muito mais fotos de paisagens do que leões na África. Logo aí em cima coloquei uma foto da Lua tirada em 200mm, minha lente mais tele. Mesmo que ela não seja uma super tele nem nada, não penso em investir em outra porque não uso muito. Pro tipo de foto que eu gosto não preciso de uma 700mm nem de zoom de 50x. É sempre bom pensar o tipo de foto que você quer tirar antes de sair comprando uma câmera, a pesquisa é que vai te impedir de cair no papo do vendedor que promete mais megapixels e mais vezes de zoom.

Qualquer dúvida deixem nos comentários ou na página do Facebook que vou tentar responder da melhor maneira possível.

Semana que vem vamos começar a mexer nas câmeras.

Beijos

Follow my blog with Bloglovin

Fotografia – Megapixel

Oi gente,

Segundo post da série de fotografia, se não viu o primeiro, vai lá conferir, depois volta aqui.

Conhecemos um pouco os tipos de câmera, sabemos que existem grandes diferenças de tamanho e preço. Mas além disso, o que mais devo me preocupar na hora de escolher a minha máquina? Muita gente acredita que devemos olhar primeiro a quantidade de megapixels. Então vamos falar sobre isso hoje.

Bom, as imagens digitais são feitas de vários pixels, cada pixel é um pontinho, diversos pontinhos, um do lado do outro, formam a imagem. A quantidade de megapixels de uma câmera são quantos mil pixels cada foto vai ter. Então, na verdade, esse número determina o tamanho da sua foto, máquinas com mais megapixels fazem fotos maiores.

Como hoje em dia a gente acaba vendo quase todas as fotos no computador, esse acaba sendo o maior tamanho que utilizamos, ou vamos ter que rolar a tela pra cima e pra baixo pra ver a foto completa. Aí, a vantagem de muitos megapixels é que podemos recortar um pedaço da imagem e a foto vai continuar com bastante qualidade. Se a foto é pequena (com poucos megapixels), cortamos um pedaço e queremos ver só esse pedaço do tamanho da tela, vamos acabar vendo os pixels da imagem.

Essa próxima foto foi tirada em uma câmera de 7.2MP, veja quanto temos que cortar para conseguir ver os pixels. O detalhe foi retirado do retângulo vermelho marcado na imagem original.

Inhotim - Brumadinho/ MG

Inhotim – Brumadinho/ MG

Detalhe

Detalhe

Mas é bem raro a gente cortar tanto assim uma foto, então a maioria das pessoas não precisa de muitos megapixels. Precisa apenas se você tem o costume de cortar muito suas fotos ou imprimir em tamanhos enormes, fazer pôster, coisas assim.

“Ah, se as fotos são maiores e você pode cortar mais, isso quer dizer que a imagem fica melhor, mais nítida, com mais informações e detalhes.” A princípio sim, mas primeiro que é uma qualidade que você só vai perceber quando imprimir em tamanho bem grande ou cortar um detalhe e ampliar. Segundo que o número de megapixels não é o único fator que influencia nisso. Na verdade, nem é o principal.

Atualmente, no lugar dos filmes, as câmeras têm sensores. O tamanho e a qualidade do sensor são também responsáveis pela qualidade da imagem. Se o sensor não é bom, a imagem não vai ser boa, não importa se são muitos os megapixels. Outra responsável pela qualidade é a lente, lentes ruins não permitem uma imagem boa.

Pra tentar mostrar pra vocês que megapixel não significa muita coisa peguei duas câmeras, a minha Nikon D5100 que é 16.2MP e a sony cybershot DSC-TF1 de 16.1MP, praticamente iguais. Tirei três fotos com o quase mesmo enquadramento e as mesmas configurações (vamos falar dessas configurações mais pra frente). A primeira foto é da Sony, a segunda da Nikon com a lente do kit, a 18-55mm/ f3.5-5.6 e a terceira também com a Nikon, dessa vez com a lente 50mm/ f1.8.

Foto tirada com a câmera Sony Cybershot DSC-TF1

Foto tirada com a câmera Sony Cybershot DSC-TF1

Foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 18-55mm/ f3.5-5.6

Foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 18-55mm/ f3.5-5.6

Foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 50mm/ f1.8

Foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 50mm/ f1.8

Dá pra ver que a qualidade da Sony é pior, certo? Principalmente se vocês repararem nas cores e na nitidez. As duas fotos da Nikon também são diferentes, mas as diferenças são menores. Pra vocês verem melhor, cortei mais ou menos o mesmo pedaço das três fotos. De novo, olhem principalmente a nitidez. Dá pra ver que, mesmo usando a mesma câmera, a lente 50mm tem uma imagem melhor que a 18-55mm. Mantive a ordem anterior, o primeiro detalhe é da Sony, o segundo usando a lente 18-55mm e o último a 50mm.

Detalhe da foto tirada com a câmera Sony Cybershot DSC-TF1

Detalhe da foto tirada com a câmera Sony Cybershot DSC-TF1

Detalhe da foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 18-55mm/ f3.5-5.6

Detalhe da foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 18-55mm/ f3.5-5.6

Detalhe da foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 50mm/ f1.8

Detalhe da foto tirada com a câmera Nikon 5100, lente 50mm/ f1.8

Acho que dá para ver bem que número de megapixels não quer dizer muita coisa, né?

A questão é que o número de megapíxels caiu no gosto do povo, os publicitários perceberam que, quanto maior esse número, mais caro podem cobrar. As pessoas logo querem saber quantos megapixels tem a câmera, como se o número maior determinasse uma foto melhor. Minha primeira câmera digital tinha 7.2 megapixels, foi com ela que tirei a primeira foto do post, do Inhotim e eu tinha muita coisa para reclamar dela, mas nunca senti falta de mais megapixels.

Semana que vem vamos falar sobre zoom.

Beijos

Fotografia – introdução e tipos de câmera

Oi gente,

Hoje vou começar uma nova série aqui no blog, quero falar de fotografia. Não sei exatamente quantos posts vai ter. Pra começar, eu não sou fotógrafa, o que aprendi meu irmão me ensinou (ele trabalha com isso, vocês podem ver os trabalhos dele aqui) e depois fucei muito na internet, mas nunca fiz nenhum curso e nem trabalho com isso, então podem me corrigir nos comentários qualquer coisa.

A pergunta que mais leio pela internet é “qual câmera eu compro?” ou “qual dessas câmeras é a melhor” seguida de links ou nome de câmeras. Bom, essa é uma pergunta bastante vaga e não existe resposta certa pra ela. É mais ou menos como perguntar qual roupa eu compro ou qual roupa é melhor, terno ou sunga. Não existe uma resposta certa, depende do seu uso. Ninguém vai recomendar sunga para um casamento ou terno para a praia, com as câmeras é a mesma coisa, depende do que você quer.

DSC04729

Alpes bávaros. Foto tirada com a compacta Sony Cybershot DSC-P200

Antes de pensar em comprar uma câmera nova, pensa se você realmente sabe usar sua máquina e aproveita tudo o que ela tem para oferecer. Mesmo as câmeras mais simples, muitas vezes têm recursos que podem melhorar suas fotos, a maioria delas te permite ter controle sobre a forma e a quantidade de luz que entra. Ou seja, para melhorar de verdade suas fotos é importante que a câmera tenha um modo manual.

Claro que, como você vai decidir o que a câmera vai fazer, demora mais para tirar a foto, principalmente quando estamos aprendendo. Mas isso não quer dizer que você TENHA que ajustar a máquina a cada foto. O legal de saber usar o modo manual é você poder usar isso quando quiser, mas pode usar o automático quando achar melhor também.

Por exemplo, você está em uma cachoeira e quer tirar aquela foto que deixa a água parecendo um véu, usa o manual, assim vai poder dar o efeito que quiser. Se você está com seu priminho e ele dá uma gargalhada, vai de automático, assim você não perde tempo e consegue capturar o momento.

Sana

Sana

Voltando às câmeras, existem dois tipos básicos, as compactas, que não trocam lentes e as de lentes intercambiáveis, que trocam.

Câmeras compactas

Mesmo que muitas câmeras simples tenham modo manual, algumas não têm. São conhecidas como “point and shoot”. Com essas máquinas, você realmente não tem controle sobre quase nada. A grande vantagem é que em geral são bem pequenas e práticas, qualquer um consegue usar. Mas realmente se você quer aprender mais sobre fotografia e controlar o que acontece, vai precisar de outra máquina. Por isso, não vou me estender sobre as “point and shoot”.

Sony cybershot DSC-TF1 Fonte: Google

Sony cybershot DSC-TF1 Foto: Google

Mas nem toda câmera pequena é “point and shoot”, existem várias que, além do modo automático, possuem formas semiautomáticas e manuais. A minha primeira câmera digital foi uma desse tipo, a Sony Cybershot P200. Usei esta máquina por oito anos e só decidi trocar quando sabia o que me incomodava na câmera e o que precisava para melhorar. Eu sabia tirar o máximo dela, mas esse máximo já não era suficiente para mim.

compactas

Nikon Coolpix P330 e Sony Cybershot DSC-P200 Fotos: Google

Existem ainda as chamadas bridge ou DSLR-like que são grandes, têm zoom enorme, geralmente têm modo manual e às vezes são chamadas de semiprofissionais, mas não trocam de lentes. Uma coisa que chama atenção nesses modelos é o tamanho, por serem grandes, dão uma cara de “profissionalismo” e seriedade. Por isso muita gente acaba comprando esses modelos, se impressiona com o tamanho do zoom e a quantidade de megapixels e não pensa se realmente vai usar um zoom de 50 vezes. O preço delas costuma ser bem acima das câmeras  pequenas, mas elas ainda são compactas.

bridge

Canon Powershot SX500 e Nikon Coolpix L330 Fotos: Google

Câmeras com lentes intercambiáveis

São as DSLR, câmeras grandes, com lentes que, em geral, também são grandes. Elas têm esse tamanho por causa do jeito que formam a imagem. Esse jeito permite que, quando olhamos no visor (aquele que a gente coloca o olho, não a tela), vemos a luz que entra pela lente, o enquadramento exato do que vai sair na foto.

“Ah, mas a minha compacta também tem o visor.” Sim, algumas ainda têm, mas ou o visor mostra uma outra telinha de lcd dentro dele, ou na verdade é só um túnel na parte de cima da câmera, mostrando uma aproximação do que vai sair na foto.

Essas máquinas precisam de um investimento maior, porque as lentes são mais específicas, então você vai precisar comprar, além da câmera, um certo número de lentes. Por isso, você acaba tendo que carregar mais peso e mais volume.

cropadas

Canon EOS Rebel T3i e Nikon D5100 Fotos: Google

Atualmente existem também as mirrorless, câmeras de lente intercambiáveis menores. A qualidade é a mesma das DSLR e também precisam de lentes separadas. A maior vantagem é o tamanho e a desvantagem é que não usam as lentes das DSLR, que são maioria no mercado.

mirrorless

Nikon 1 V1 e Sony alpha Nex 6 Fotos: Google

Essas câmeras com lentes intercambiáveis se dividem em dois tipos. As full frame, mais utilizadas profissionalmente, que o sensor é quase do tamanho do filme que a gente usava antigamente, e as de sensor cropado, com o sensor menor. As primeiras fotos ilustrativas das DSLR são de sensor cropado, uma delas, a Nikon D5100 é minha câmera atual. Abaixo coloquei duas câmeras full frame.

full frame

Canon EOS-1D e nikon D4. Fotos:Google

Pronto, agora vocês conhecem um pouco mais os tipos de câmera. No próximo post vou falar um pouco de zoom e de megapixels.

Se tiverem qualquer dúvida, deixem nos comentários que respondo no próximo post.

Beijos