Assinatura RSS

Arquivo do mês: maio 2015

Fotografia – Filtro polarizador

Publicado em

Oi gente,

Hoje quero mostrar um acessório bem legal para suas fotografias, o filtro polarizador.

polarizador

É um acessório que funciona principalmente em câmeras DSLR, que trocam a lente, mas, em alguns casos, podem funcionar também para as compactas. O polarizador é um tipo de filtro, os filtros são esses círculos de vidro que encaixam na ponta da lente, existem diversos tipos e cada um tem uma função. O polarizador é, obviamente, feito com um vidro polarizado que muda a forma como a luz chega na câmera.

Ele tem dois anéis em volta do vidro, o primeiro é o que você rosqueia na lente, então fica fixo, e o segundo é onde está preso o vidro. Esse segundo anel gira em relação ao primeiro e, girando o vidro, podemos mudar a forma como a luz incide na foto, se vai ser polarizada ou não. Normalmente os raios de luz refletem nas superfícies e entram em todas as direções, com o polarizador ajustamos o ângulo de incidência da luz.

polarizador mickey

O filtro polarizador é muito útil principalmente em dois casos, para tirar fotos de superfícies que têm reflexos, como o vidro, água ou lugares molhados e para aumentar o contraste em ambientes muito iluminados, principalmente dias de céu azul e muita luminosidade. Usando o polarizador podemos intensificar o azul do céu, por exemplo.

O filtro, como define a incidência de luz, acaba diminuindo a luminosidade da foto, podendo dar mais definição em objetos muito claros, como a areia da praia ou as nuvens do céu. Pode acontecer também de mudarem um pouco a temperatura da foto, tornando ela mais amarelada ou mais azulada.

montagem céu

Foto 1 sem polarizador, foto 2 com polarizador. Observe a cor do céu e o contraste com as nuvens.

É importante lembrar que esse filtro é mais um vidro na frente da sua lente e acaba escurecendo a foto. Como em geral usamos o filtro em locais bem iluminados isso não é nenhum problema, basta diminuir a velocidadeabertura (no caso, diminuir o f, colocar no número mais baixo), ou aumentar o ISO. Quando for tirar foto em um ambiente mal iluminado eu recomendo retirar o filtro para captar mais luz.

água

Foto 1 sem polarizador, foto 2 com polarizador. Na foto 2 a água quase não tem reflexo e podemos ver o fundo da Lagoa.

Para comprar um filtro desses é bem importante você ver quantos milímetros tem a sua lente e comprar o filtro de acordo, pois cada lente tem um tamanho diferente, é normal que um filtro não se adapte a duas lentes. Se você tem várias lentes e quer filtros polarizadores para todas elas é mais interessante (e economiza dinheiro) comprar um filtro que seja adequado para a sua maior lente (ou para a maior lente que você pretende comprar no futuro) e comprar adaptadores para as lentes menores. Claro que quanto maior o filtro, mais caro ele será, mas ainda é melhor do que comprar um para cada lente.

carro

Foto 1 sem polarizador, foto 2 e 3 com polarizador. Na foto 2 coloquei o polarizador para aumentar os reflexos, rodando em outra direção os reflexos praticamente somem (foto 3). Clica na foto que aumenta.

Mais uma vez, o polarizador é uma nova camada de vidro na frente da sua lente, é importante que você preste atenção na qualidade do filtro. Não adianta nada ter uma lente ótima e comprar um filtro vagabundo, a qualidade da imagem não vai se manter.

Certamente já existem kits com lentes polarizadoras para celulares também, não sei como funciona, mas pode ser um jeito bem interessante de testar esse acessório. Outro jeito possível, caso você já tenha acesso a um filtro, mas ele não se encaixe na sua compacta, é colocar na frente da lente e fazer experimentos. Claro que a qualidade não vai ser igual, mas pode ser uma experiência legal. Só não acho que valha a pena comprar um filtro só pra isso.

Você já usou o filtro polarizador? Se tiverem fotos com ele, postem no instagram e me marquem (@juliakubrusly). Sigam também a página no Facebook e, para receber todas as novidades direto no seu e-mail, se inscrevam no blog.

Beijos

Limpeza rápida de pincéis – DIY

Publicado em

Oi gente,

Já mostrei pra vocês como faço para lavar meus pincéis, mas essa é uma lavagem que faço a cada semana ou quinze dias. Hoje quero mostrar a limpeza rápida que faço a cada vez que uso um pincel.

DSC_0036

Diferente da outra, ela não é uma limpeza profunda que vai realmente deixar o pincel limpo, mas vai tirar o excesso de produto, aquele acúmulo de base ou corretivo, a sombra preta ou colorida, e vai te permitir espaçar mais as lavagens profundas.

Existem vários higienizadores de pincel no mercado, se preferir você pode escolher um e comprar, mas eu prefiro fazer o meu, é bem simples e sai muito barato.

DSC_0040

Você vai precisar de:

Um borrifador desses comprados nas lojas de 1,99 ou de coisas para casa;

250ml de água;

1 colher de sopa de shampoo de bebê;

1 colher de sopa de creme de pentear ou leave in.

DSC_0041

Agora só misturar tudo no borrifador, dar uma mexida e está pronto.

montagem

Para usar basta borrifar o produto no pincel, esfregar o pincel de leve em uma toalha e depois esperar secar. É bem mais rápido para secar do que a lavagem completa. Eu costumo limpar todos os pincéis logo depois de usar, assim, quando for precisar deles de novo, estão sequinhos e prontos pra uso.

Só não esqueça, não é porque usa essa mistura todos os dias que pode ficar sem limpar profundamente seus pincéis. Lavagens frequentes aumentam a vida útil deles. Pincel é uma coisa cara, mas que pode durar muitos anos, é só você cuidar bem deles.

Mesmo o processo e a secagem sendo bem mais rápida que a limpeza profunda, ainda demora um tempinho. Em casos emergenciais que você precisa de muita rapidez, funciona, ao invés de usar essa mistura, usar álcool. O processo é o mesmo, coloca álcool no pincel, passa em uma toalha e espera secar, mas álcool seca bem mais rápido do que água. O problema desse processo é que o álcool danifica as cerdas do pincel (principalmente pincéis de cerdas naturais, você colocaria álcool no seu cabelo? É a mesma coisa). Se for feito uma ou duas vezes em que você realmente precise de rapidez, ok, mas se feito com frequência, a vida útil dos pincéis vai diminuir bastante.

Não esqueçam de me seguir no Instagram (@juliakubrusly) e curtir a página do blog. Se quiserem receber os posts no e-mail, se inscrevam no blog.

Beijos

Livro: Admirável mundo novo – Aldous Huxley

Publicado em

Oi gente,

Mês novo começando com um feriadinho prolongado, nada melhor do que uma indicação de livro, certo? E, pela primeira vez, vou mostrar um livro físico, de papel, que não está no Kobo.

DSC_0026

Abril trouxe Admirável mundo novo, do Aldous Huxley. É um livro de 1932, uma ficção científica, ou distopia, como está na moda chamar agora. Não sei exatamente em que ano o livro se passa, mas podemos perceber que são muitos anos no futuro.

Nesse futuro temos uma sociedade separadas em castas, não temos mais Deus e quem ocupa seu lugar é Ford. Então há um novo calendário e os anos são contados a partir dele (ano 650 depois de Ford, por exemplo). Seu nome é usado também em exclamações e interjeições e existe também um sistema bem complexo de reprodução humana. As pessoas não nascem mais por vias normais, tudo é feito em laboratórios e tubos de ensaio e, desde o início, as pessoas são condicionadas a determinada casta. Toda a educação é voltada para que as pessoas se encaixem na sociedade e em suas respectivas castas, então, a princípio, todos estão satisfeitos. Se há algum problema eles têm o soma, uma droga que todos tomam com frequência e acaba com todos os problemas. A organização da sociedade é muito baseada nisso, a harmonia entre as castas. Todos devem fazer aquilo que foi pré-determinado, sem questionamentos, sem novidades. O consumo de bens materiais é exagerado e as interações sociais também, ninguém deve fazer atividades solitárias. A monogamia também não deve ser encorajada, “cada um pertence a todos”, então não há ciúmes ou sensação de posse.

São diversos os ditados repetidos pelos personagens, esses ditados foram ensinados a todos desde o nascimento e regem a vida em sociedade. Ser questionador é um problema, e esse é o problema de Bernard, um alfa mais (a casta superior). Ele não consegue se encaixar na sociedade, é diferente fisicamente dos outros alfa mais, não gosta das atividades sociais que todos gostam, consome pouco soma e está sempre questionando os ditados e agindo diferente dos outros. Bernard acaba se apaixonando por Lenina, uma beta mais que, diferente dele, se encaixa perfeitamente na sociedade e nunca questiona nada.

DSC_0027

Certo dia Bernard e Lenina vão visitar uma reserva histórica, um local cercado e protegido onde pessoas vivem fora da sociedade idealizada. Seria algo comparado a uma reserva indígena, mas há uma separação muito maior entre as sociedades e os civilizados enxergam os selvagens quase como um zoológico, um campo de estudo. Bernard e Lenina vão visitar uma reserva e acabam encontrando Linda. Linda é uma civilizada que, há muitos anos, em uma visita, acabou se perdendo e ficando entre os selvagens. Ela está completamente mudada, inclusive teve um filho de modo natural, mas anseia loucamente por voltar à civilização.

A partir daí começam muitos problemas e questionamentos, não mais da parte de Bernard, mas de John, filho de Linda. Ele vai à civilização, mas tem uma visão muito diferente de tudo e há um choque enorme, ele não consegue compreender ou aceitar diversos costumes.

É um livro bom e bastante interessante, inclusive percebemos que, embora nossa sociedade não se pareça com a do livro, muitas das direções apontadas por Huxley são realmente seguidas atualmente, como o incentivo ao consumo, avanço de novas tecnologias, a busca pela juventude eterna, etc. Não é uma obra verossímil, não parece que ela realmente revela o nosso futuro, mas é muito interessante para refletir diversas das nossas atitudes, se são realmente positivas ou não.

Esse livro, ao contrário das distopias atuais, não tem foco principal no enredo. Ele é bastante descritivo e se preocupa em esmiuçar as técnicas e o funcionamento dessa nova sociedade. Em alguns pedaços ele chega a parecer um livro teórico, não uma ficção. Percebemos claramente que o foco principal não é o enredo, mas repensar a sociedade e os rumos que estamos dando a ela. Do meu ponto de vista não tem nenhum personagem que eu realmente goste, me identifique e torça, e isso me faz falta. O que eu mais gosto nos livros são os personagens e suas histórias, senti falta disso no livro. Ainda assim, se você se interessa pelo tema, recomendo bastante a leitura.

DSC_0028

Quais livros vocês estão lendo e me recomendam? Já leram esse?

Não esqueçam de me seguir no Instagram (@juliakubrusly) e curtir a página do blog. Se quiserem receber os posts no e-mail, se inscrevam no blog.

Beijos