Assinatura RSS

Viajando sozinha – parte 2

Oi gente,

Esta é a segunda parte do post viajando sozinha. Se você não leu o primeiro vai ver como decidi viajar sozinha e como escolhi para onde ia. Depois volta aqui.

Como já disse na primeira parte, depois quero fazer posts especiais das cidades que fui, São Paulo e Curitiba. Neste post quero contar o que achei dessa experiência nova de viajar sozinha, então vou tentar resumir como me senti nesses dias e minhas conclusões. No início eu pensei que ia socializar rapidamente e, na realidade, a viagem não seria sozinha, mas feita com muitas companhias conhecidas ao longo dos dias. Mas eu sou tímida. Estava aberta a conhecer novas pessoas sim, mas precisava que elas dessem o primeiro passo e iniciassem a conversa. Então não foi como eu tinha pensado, conheci várias pessoas sim, mas elas não estão viajando com você, você está sozinho. E aí aprendi que isso pode ser a melhor parte.

MASP - São Paulo/ SP

MASP – São Paulo/ SP

Então no primeiro dia eu estava sim meio nervosa por estar em São Paulo sozinha, mas comecei a fazer planos do que queria visitar e, no dia seguinte, já estava bem mais calma. Fui planejando meus passeios, traçando rotas e incluindo apenas coisas que eu queria conhecer de verdade. E essa é a melhor coisa de viajar sozinho, você faz o que quer e apenas o que quer.

Sabe aquele amigo que ama entrar em mil lojas e você sempre fica esperando, ou o namorado que adora museus e você detesta, aquele companheiro que chega num parque, olha já quer ir embora para a próxima atração? Pois é, isso não existe mais. Você pode ficar três horas sentado no banco de um parque só vendo a vida passar, não ir a nenhum museu, ou ir a todos, ver as lojas que você quer com calma, ou apenas não entrar em lojas… Enfim, você que manda.

Mesquita - Curitiba/ PR

Mesquita – Curitiba/ PR

No fim das contas descobri que é algo muito bom que quero conseguir repetir mais vezes, não precisa ter medo. Sabe quando você tem um tempo para viajar, mas não temos companhia? Pois é, não tem razão para ficar em casa. É um ótimo momento para aproveitar e fazer sua primeira (ou segunda, terceira…) viagem sozinho. Ah, mas tenho medo de não gostar. Eu também tinha, na verdade eu achava mesmo que não ia gostar, mas como ter certeza se nunca tinha feito?

Se a possibilidade de não gostar realmente te assusta, tenta pensar se você realmente gosta da sua própria companhia. Na sua cidade você sai sozinho? Gosta? Eu, por exemplo, adoro sair sozinha, tanto para dar uma volta quanto para fazer compras. Passear no centro do Rio é um dos meus programas favoritos de fazer sozinha. Entrar nas lojas, passear no SAARA (ouvir a rádio saara), andar pelo camelódromo… Eu realmente adoro.

Viajar sozinha é também um aprendizado. Eu aprendi, por exemplo, que mesmo que eu odeie pedir informações, posso fazer isso diversas vezes no mesmo dia sem que haja muito problema (sei, parece bobo, mas eu realmente detesto parar alguém pra perguntar alguma coisa), aprendi também que amo parques, pracinhas e lugares verdes no meio da cidade grande.

Parque Vila-Lobos - São Paulo/ SP

Parque Vila-Lobos – São Paulo/ SP

Perrengues acontecem? sim, muitas vezes o Google maps indica rotas estranhas, você anda por lugares perigosos ou se perde, fica sem sinal de 3G ou sem bateria, mas ao mesmo tempo é uma experiência muito legal. Essa foi só minha primeira experiência, curti demais, mas ainda não consegui sair de noite sozinha, por exemplo. É verdade que mesmo no Rio ou em Floripa eu não costumo sair sozinha a noite, vou pela programação ou companhia. Da próxima vez, quem sabe, eu não encontro um restaurante ou show que queira muito ir. Se você não viaja sozinho porque tem medo, larga disso e compra a passagem.

Você já viajou sozinho? Tem vontade? Me conte nos comentários.

Não esquece de seguir o blog, assim você vê as atualizações direto no e-mail. Me segue também no instagram, @juliakubrusly, assim você pode acompanhar o que estou fazendo em tempo real.

Anúncios

»

  1. Julia,

    estou adorando acompanhar o blog e pegar todas essas dicas!
    Resolvi comentar neste post, especificamente, pois estou com a página aberta e prestes a comprar uma passagem para viajar, mas é no meu aniversário e sozinha! Por isso, estou aqui morrendo de medo, rs. Mas tenho pensado muito nessa experiência como um percurso de autodescoberta, autoconhecimento, coisas tão caras a nós, adultos cheios de tanto para fazer!

    Enfim! Se eu tomar coragem para comprar a passagem (confesso que me sinto muito mais inclinada a isso), volto aqui para compartilhar com você!

    Beijos!

    Curtir

    Responder
  2. Quero ir, finalmente, visitar o Inhotim! Já estou com vergonha de nunca ter ido… E, neste ano, depois de entregar a dissertação, o que eu mais quero fazer na vida é viajar, sozinha ou acompanhada! Um ano de um pouco de paz faz bem! Ainda mais depois de dois anos de tanto trabalho e estudo!

    Mas, se não for para lá, com certeza vai ser para algum canto do Brasil. Só estou esperando uma boa passagem, um bom feriado e um bom lugar 😉

    Ah, estou doida para saber o que você achou de SP. Passei quase 3 anos indo para lá por causa de um namoro e posso atestar que você começou a sua odisseia de viajar sozinha pelo melhor lugar: lá, nunca e sempre estamos sós, rs.

    Beijos!

    Curtir

    Responder
    • Fui pra lá ano retrasado com o filipe e digo pra todo mundo que vale muito a pena. Até tinha pensado em fazer um post sobre, mas as minhas fotos não estão tão boas, são da câmera antiga… Vou olhar as fotos do Filipe e, conforme for, faço.
      Olha, eu adorei SP, não achei que ia gostar tanto. Quero ver se faço o post logo.
      beijos

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
  3. Olá.
    Amooooooooo viajar, mas tem alguns anos que não viajo sozinha. Desde que casei na verdade. A minha última foi para a Bahia.
    Acho muito bacana ver SP pelos olhos de quem vem turistar por aqui, detalhes que passam batido aos olhos de quem mora.
    Beijos
    http://www.estilogisele.com.br

    Curtir

    Responder
  4. Pingback: Viajando sozinha – Parte 1 | Isso, aquilo e tal

  5. Quando eu fui pra Argentina eu fui meio no escuro, fiquei com uma pessoa no quarto q eu não conhecia… No final tivemos até uma afinidade e foi ótimo.

    Em algum momento penso em viajar sozinha assim, completamente. Acho q deve ser uma experiência mto boa.

    Curtir

    Responder
    • Eu só fiquei em quarto compartilhado, mas a rotatividade é muito grande, muita gente vai pra ficar uma noite e só, então só saí mesmo com uma menina do meu quarto em SP. Em curitiba conheci bastante gente no hostel, mas ninguém do meu quarto.
      beijos

      Curtir

      Responder
  6. Pingback: Viajando – Curitiba | Isso, aquilo e tal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: